Qual seria seu banco ideal?

Há alguns dias conversava com uma menina que eu tinha o irritante que estava com o seu banco. Dizia que, se pudesse, não trabalharia com nenhum banco. Mas como não tinha mais remédio, porque tudo é bancarizado, pois tinha que passar pelo aro.

O mais curioso de tudo, é que quando eu perguntei o que teria que ter uma entidade, para que fosse seu banco ideal, me disse uma série de coisas que você pode encontrar em algumas alternativas da concorrência. E então foi quando me dei conta, de que muita gente não tem nem ideia das opções que você tem para escolher banco, nem de todas as possibilidades que lhe oferece o próprio banco com o qual trabalha.

Pensando na raiz do problema de muita gente que está descontente com o seu banco, o que eu vejo é que muitas pessoas são clientes de sua entidade, bem, porque era a conta que tinham desde pequenos ou foi o banco que lhes deu a hipoteca.

É dizer que, em algum momento, normalmente os pais decidem abrir uma conta em um banco para seus filhos. E estas, quando são maiores, sieguen nesse banco por inércia. A não ser que chegado o momento de comprar casa, se encontrem com que a sua entidade de toda a vida não lhes dá a hipoteca ou lhes oferece muito más condições. E então mudam para outra, que lhes dá uma boa financiamento, mas não necessariamente é o melhor banco para eles em geral.

Não sei se você se terá passado algo parecido ou não. Mas sim que te queria perguntar algumas coisas. Se pudesse escolher, Qual seria seu banco ideal? E se você não conhece nenhum banco que cumpra os seus requisitos de como seria seu banco ideal?

Muitas vezes, um banco te trata mal em sentido figurado, quando não ganha dinheiro com você, ou quando você tem amarrado e sabe que não se pode escapar tão facilmente. Não deveria ser assim, mas muitas vezes ocorre.

E depois, há a situação em que você é bom cliente para o banco, mas mesmo assim não se tratam bem e tu não te queixas. Quando a atenção que você recebe de seu banco está abaixo de suas expectativas, ou o banco não está sabendo atender suas necessidades, é o momento em que você pode levantar mudar de banco.

E, nesse ponto, normalmente o que se costuma fazer é tentar resolvê-lo com o banco e aguentar ou de forma direta ou posteriormente, caso não tenha tido sucesso o passo, olhar por sua conta em outro site ou pedir conselho a outra pessoa. E a recomendação de uma pessoa próxima, baseada em sua experiência, é uma das formas mais comuns de se tornar um novo cliente de um banco, quando estas descontentamento com o que você estava.

Pesquisar informação leva tempo e às vezes a publicidade é eficaz se você dá uma resposta a um problema de maré rápida. Por exemplo, estou pensando no dinheiro que se gasta ING Direct em publicidade e dar a conhecer a sua filosofia de banco de zero comissões e livre de amarras.

Muita gente lhe chama a atenção porque uma das principais coisas que mais incomoda são as comissões. E o banco ideal de muitas pessoas, deve ser zero comissões em tudo.

Isso está bem, mas você tem que entender que um banco é um negócio. O negócio com maiúsculas diria eu. E haverá coisas que são mais lógicas ou não que as cobram, mas eles colocam suas tarifas e você escolhe com quem trabalha. Desejar que todos os bancos serão zero comissões, é um tanto irreal.

Além disso, por trás disso há um modelo de banco low cost, que faz com que sua estrutura seja um pouco fraco. Mas, por falência, podem quebrar todos. Pois é uma questão de confiança.

Então, o normal é que você tenha um banco principal e uma ou duas contas secundárias. Pode ser que tenha mais, se você tem um monte de poupança, por aquilo da diversificação. Mas o normal agora, é uma ou duas contas. Porque, se não, se ranger a comissões. E folha de pagamento, se você tem, só você pode tê-la domiciliada em um site, salvo excepções, um pouco particulares de pluriactividade, etc.

Mas costuma-se trabalhar com vários bancos, porque normalmente o seu banco principal não te dá o que você precisa. E então você combina o melhor de vários sites, até certo ponto. Porque, então, tudo pode se tornar um pouco caótico.

Voltando ao ponto do banco ideal, do meu ponto de vista e para as minhas necessidades, ainda não encontrei um só banco que seja uma solução global para todos. O que me leva a ter que trabalhar com vários fornecedores. Eu conheço muito bem o setor e a verdade é que, para mim, não é tão complicado escolher, mas entendo que para alguém que não está muito envolvido no tema, o assunto dos bancos é muito mais complicado e tedioso.

Mas ainda assim há muitos aspectos em que nem o melhor banco de todos, dá a tamanho. Te conto quais seriam as características que, para mim, deveria ter meu banco ideal.

Para começar, uma coisa que me incomoda bastante, é a variabilidade das condições que fui contratado. Nada é para sempre na banca, eu sei. Tudo pode mudar. Esta sempre essa maldita cláusula de pré-aviso de dois meses, em que o banco unilateralmente pode desdecirse e dar-lhe a opção de resolver o contrato.

Em segundo lugar eu gostaria de ter um banco global com oferta vasta e comissões razoáveis para serviços específicos (bolsa, fundos, etc) e zero de comissões em serviços básicos, partindo da base de que vou ser um cliente tem com o banco ideal que eu estou imaginando.

E o terceiro ponto é que eu gostaria de poder fazer todo o tipo de operações a distância e no caso de ter que negociar com o banco para alguma coisa, para não ter que ir presencialmente. Mas também poder fazê-lo a partir de um computador ou do celular em um horário amplo, através de um canal seguro e que obtenha uma resposta ágil e rápida.

Como toque final ao meu banco ideal, eu gostaria que tivesse uma informação clara e transparente. E que cumpre o que promete, sem ter que andar a lutar por erros ou coisas que não são feitas de forma automática. Será que é pedir muito?

Agora te toca a ti. O que você me diz? Qual é a sua melhor banco de todos os que você conhece do mercado? Como seria seu banco ideal? Espero seu comentário impaciente.

Deixe um comentário