Os brasileiros pagamos mais pelos empréstimos que o resto de países da zona do euro

Embora pareça mentira, é real, de acordo com os últimos dados publicados pelo Banco de Portugal (BdE), a TAEG média de empréstimos pessoais concedidos em Portugal em janeiro de 2017, se estabelece em um 8,68 % e, pelo contrário, a zona do real é de 6,21 %. Isso implica em menos de dois pontos percentuais, o que dependendo da quantidade pedida pode ser uma quantia de dinheiro considerável. Diante disso, Paulo Flores, analista da Associação Portuguesa de Investidores Profissionais, afirma que “É uma questão de risco, o consumidor paga uma parte do prémio do país”. Assim, entendemos que o risco de inadimplência é extrapolado para todos os níveis.
O que créditos podemos encontrar em Portugal que estão ao preço da zona do real?
Perante este cenário, parece complicado encontrar empréstimos pessoais com desconto em nosso país. Não obstante, se buscamos e comparação entre as diferentes ofertas do mercado atual, provavelmente vamos encontrar o caminho adequado para o nosso perfil e necessidades.
Em primeiro lugar, precisamos saber para onde olhar, e de que forma fazê-lo para não perder tempo. Uma das opções que podemos utilizar são os comparadores online como Blog Economizando que nos oferece uma navegação rápida, simples e intuitiva para encontrar o empréstimo que precisamos. Por outro lado, também podemos recorrer ao nosso banco e ver quais as opções que nos oferecem, já que se você tem um bom histórico e perfil de crédito positivo, provavelmente, teremos condições vantajosas.
Em qualquer caso, a seguir, mostramos 3 empréstimos que podemos obter em instituições financeiras de crédito, com um custo abaixo da média espanhola.
Produto Montante Taxa de juro Mais info

Crédito Projeto Cofidis Até 15.000 € Desde o 4,95 % TIN (5,06 % TAE)

Solicitar

Empréstimo pessoal Cetelem Até 50.000 € Desde o 5,95 % TIN (6,12 % TAE)

Solicitar

Empréstimo Plano Bigbank Até 15.000 € Desde o 6,74 % TIN (6,95 % TAE)

Solicitar
As grandes vantagens destes produtos, e que têm um custo mais reduzido é que não incluem comissões, ou a aquisição de produtos vinculados. Além disso, permitem-nos realizar todo o processo de forma online, o que não perderemos tempo em formalidades e circulação.
Há alguma opção de conseguir baratear um empréstimo?
Na hora de contratar um empréstimo, geralmente, nos oferecerão condições fechadas que teremos que aceitar se quisermos que nos concedam o capital.
No entanto, há certos aspectos que nos podem ajudar a baratear o empréstimo:
Olhar para a TAE e não em TIN: em muitas ocasiões, podemos nos encontrar com empréstimos que ofertam a 0 % TIN (taxa de juros nominal), mas este indicador, apenas, inclui os juros e encargos mais. Por este motivo, devemos olhar para a TAE, já que pode haver um crédito que não inclua juros, mas que seja mais caro do que um sim que os integre.
O prazo de reembolso: é importante que sejamos conscientes de que um período de reembolso mais extenso, criar mais interesse. Por isso, na medida do possível, devemos tentar selecionar o mais breve que pudermos, sem colocar em risco a nossa capacidade para enfrentar o montante de cada quota mensal.
Além desses dois fatores, devemos estar cientes de que os produtos associados, como os seguros, não são obrigatórios, por isso podemos recusar contratá-los e assim, vai reduzir o preço final dos empréstimos.

Deixe um comentário