Onde meto o meu dinheiro? 2016-2017

Estamos em um daqueles momentos em que você deixou de perguntar, onde meto o meu dinheiro para rentabilizar, a onde eu colocar meu dinheiro para não perder.

É verdade que acabamos de fechar um dos piores começos de ano, em sacos de toda a história dos mercados. Mas você não deve deixar para outro, pelo pânico.

Entendo que sentir medo e que esteja preocupado. São as suas poupanças. Se custou muito esforço reuni-los. E agora você vê como tudo se desmorona. Possivelmente também esteja envolvido em algum fundo de investimento em que não deveria ter investido, no momento em que parecia que as coisas estavam indo razoavelmente bem e seguindo a recomendação de alguém de confiança, a sua intuição, ou simplesmente porque lhe ofereceram no banco.

E agora você se pergunta Onde colocar meu dinheiro daqui em diante? Vocês estão seguros minhas economias onde os tenho hora? Você pode confiar nos bancos? Será que eu saio ou aguento? O recuperei minhas perdas?

Se há uma coisa de que tenho certeza é que ninguém tem absolutamente a menor ideia de nada, exceto aqueles que têm bastante peso e capacidade para influenciar os mercados.

Tudo se explica maravilhosamente uma vez acontece. Há sempre alguma boa razão, que faz com que tudo ajuste. Mas por que quase nunca ninguém o vê vir?

Tudo o que você pode fazer é basarte na experiência e no passado. E pensar que o que venha já o vimos antes. Isso desta vez é diferente, não costuma ser verdade.

Olha, eu não posso dizer exatamente quando vai acontecer, mas pode ser que estejamos perto de próximo crack da bolsa. Talvez seja agora, no final deste ano ou em 2017. Não sei, mas o que sim sei é que estamos perto do fim de um ciclo. E se a morte e o nascimento é o mecanismo da vida, para renovar a humanidade, nas bolsas, o processo é semelhante. E toca renovada.

Nunca as economias desenvolvidas estiveram tão desapropriadas pelos bancos centrais, como têm estado na última década e não sabemos o que sairá de tudo isso. Mas depois da crise, os Estados Unidos já teve um dos melhores ciclos expansivos de seus mercados e parece que tem funcionado bem na sua economia.

Agora toca de colapso das velas para tomar novo impulso. E sempre que a Reserva Federal começou a subir taxas de juro, depois de um ciclo de descidas, as bolsas estão demorando entre 12 e 18 meses no ar. Às vezes de forma mais abrupta e outras mais pausada. E atrás da bolsa americana ido para a europa.

A dúvida é se será diferente. Porque o certo é que nunca tinha ocorrido que tivesse tanta descorrelación no ciclo económico entre a Europa e os Estados Unidos. Dizem as más línguas, além disso, que os causadores de todas as crises nos EUA, é sempre a Reserva Federal. Com subidas de taxas a destiempo e a velocidade inadequada.

Sabendo isso, a pergunta do milhão permanece onde meto o meu dinheiro? Bom, a verdade é que há uma série de ideias que permanecem vigentes sobre a economia europeia, que nos dizem algo contraditório. E então o problema é que não sabemos como vai sair o experimento.

Porque há coisas que não somam. Enquanto o BCE continue com sua política monetária expansiva, com taxas zero, injetando liquidez. Enquanto vamos deixar o euro fraco, que apoia as nossas exportações. Enquanto o preço das matérias-primas siga baixo. Algo que nos favorece, porque somos eminentemente importadores e supõe toda uma injeção de renda disponível para consumir ou investir. E enquanto houver uma demanda interna que sustente o consumo e se traduza em benefícios empresariais. A resposta é que o ativo onde colocar o dinheiro é a Europa.

E se, no mês e meio o Euroestoxx50 se deixou 18%, o que se traduz isso, é uma oportunidade. O que acontece é que era a oportunidade para o início de dezembro, ele permaneceu até o final do ano e continua sendo agora. Mas claro que há um percentual de entrada de diferença considerável.

O tempo cura tudo e se o horizonte é longo, você deve sobreviver ao descalabro. Se você estava fora entra, mas não com tudo. Guarda-te um cartucho no quarto. Para poder médias ou para o que quer que seja.

Aprenda a conhecer-se. Agora há muita gente que esta fora de risco. E, talvez, você deve baixar um pouco o saco. Não se passa nada, por estar fora de bolsa uma temporada. Já voltará quando as coisas estão mais claras.

Já, mas onde meto o meu dinheiro se não quero saber nada da bolsa, pode ser que você esteja se perguntando. A primeira coisa que te digo é que pode ser que perca uma das melhores oportunidades para os próximos anos. Mas ouve cada um é como é, e tem que saber o que quer. Vai ter volatilidade. Isso vai mover muito. Se isso te tira o sono, não vale a pena que andes com pílulas para dormir por ganhar quatro duros.

Muitas vezes, nós mesmos somos o nosso pior inimigo. Não sabe onde colocar o dinheiro, porque ou bem estas bloqueado e você é incapaz de decidir ou, ao contrário, não parar de enredarte em decisões desconexas. E você acaba tendo um monte de produtos, mas sem nenhuma ideia clara do que queria fazer com esse dinheiro. E perde o foco.

Assim que a primeira opção é, não faça nada. Você não quer perder? A liquidez é sua amiga. Deixe estar. Com uma inflação zero ou negativo, isso não vai te machucar. O seu risco é o que você deixe de ganhar.

Que não, que onde meto o meu dinheiro, que eu quero colocá-lo em algum site. Ok, se essa é a sua postura, mas, mesmo assim, a sua premissa é a segurança, ainda tem por lá depósitos a 1% TAE, fundos garantidos com rentabilidades ridículas ou estruturados, sem risco de perda de capital. Não são más opções para não ter que se preocupar com a segurança de suas economias e você ganha alguma coisa. Pelo menos durante uma temporada.

Outra opção é consumir. Por outro lado, é o que se busca com todas estas políticas económicas dos bancos centrais. Eu não queria mudar de carro? Será que essa reforma da casa? Como aquela viagem com que tanto sonha? Bom, é o momento. Se você tem dinheiro disponível, aproveita a conjuntura e vive tranquilo. Isso sim, o desperdice, sempre deixe um encosto. Não se descapitalices do todo.

De qualquer forma, a pergunta de onde meto o meu dinheiro, responde mais fácil se antes pensado para que você quer o dinheiro. Que necessidades a curto, médio e longo prazo acreditas ter. Eu sei que é pedir muito, mas é que é o mínimo que você precisa saber para fazer um planejamento financeiro adequado e depois escolher os veículos de investimento mais bem sucedidos. E não se esqueça da fiscalidade. Os impostos são seus maiores gastos na vida.

Quando passam essas coisas me convencido cada vez mais, de que a maioria dos cidadãos, estamos condenados ao empobrecimento. Cada vez que junta um dinheiro, somos vítima de alguma fraude, de mercados ou de nós mesmos. E o resultado é que há sempre algo ou alguém que nos retorna para a caixa de saída. E se liga a esse trabalho que não gosta de você ou em sua vida insatisfeita. E você onde vai colocar o seu dinheiro nos próximos anos?

Deixe um comentário