O que é importante na hora de contratar um seguro de casa?

Quando você vai olhar o valor de um seguro de casa, tenho certeza que irá encontrar um amplo leque de preços, o que é surpreendente, até mesmo se parecer mentira que haja tanta diferença de valor dos prémios tratando-se da mesma casa.
Mas o fato é que todas as empresas possuem escalas diferentes, assim como variadas também são as coberturas que cobrem os diferentes apólices, motivo pelo qual, com muita probabilidade, você terá que olhar a letra pequena para saber qual é o seguro melhor relação qualidade/preço e que além do mais se ajuste às suas necessidades.
A primeira coisa que você deve saber é que em nosso país a Lei Hipotecária obriga a que se sua casa tem uma hipoteca , você terá de ter, por obrigação, um seguro mínimo de incêndios, sendo o beneficiário, a instituição financeira que lhe concedeu o empréstimo.
O que realmente ocorre é que quase não se costuma contratar este tipo de seguro já que, por um montante muito pequeno, pode-se contratar um seguro básico de lar com muito mais cobertura do que o anterior, o que faz com que muitos optem por esta opção.
O mais comum é, no entanto, que, já que o maior investimento que você fez em sua vida seja a aquisição de uma habitação, contrate um seguro de vida com boas coberturas, já que o esforço que você está fazendo o que merece.
É por isso que o normal é contratar um seguro multirriesgo do lar, no qual se incluem coberturas de quase todo o tipo de reclamações que se possam ocorrer em casa. As percentagens que se cubram destes sinistros, os montantes das indemnizações e coisas semelhantes, é o que determina o fim das diferenças importantes entre os diferentes seguros que tem no mercado.
Já te tenho dito que há seguros de incêndio, seguros básicos, seguros estendidos, multirriesgo e, até mesmo, multirriesgos premium (os que mais sheet). Mas o mais importante é que seja consciente do que está a contratar para evitar aborrecimentos futuros.
O que levar em conta na hora de contratar um seguro de casa?
O fundamental é que ler a letra pequena. Há seguradoras que colocam um valor de capital determinada por tipo de sinistro, quantidade que pode variar muito, dependendo da empresa. Portanto, leia a letra pequena já que, por exemplo, não é o mesmo de uma indemnização por rupturas de tubulações de 1.500 reaisde 600 reais. A primeira está claro que se aumenta o montante do prémio.
Portanto, como o primeiro conselho que te dou, é que não apenas comparar as coberturas entre diferentes apólices de seguro, mas que, além disso, comparar capitais em caso de indenização.
Quando se contrata um seguro de casa, incluem-se a grandes traços duas coisas: conteúdo e continente. O primeiro é a avaliação de o que você tem em casa e que pode ser objeto de um roubo, um incêndio ou qualquer outro sinistro. O continente é o que se refere à estrutura da habitação, enquanto que o conteúdo é tudo o que se lhe acrescenta mais tarde. Se não compreendeis vos dou um truque: se a uma habitação dou-lhe a volta para baixo, tudo o que cair no chão será o conteúdo e o que permanece inalterado e imóvel, será continente.
“9429”]
O continente costuma ir por tabelas de classificação da seguradora, mas o conteúdo costuma ir já de sua mão. Dependendo de como os valores, a prima experimentará substanciais variações em seu valor.
Portanto, como o conselho que te dou neste ponto é perguntar à comunidade de vizinhos em que a companhia é assegurado o edifício já que você pode escolher a mesma companhia, vos evitéis no n.o do continente a ter que segurar algo, já que cobre o seguro da comunidade (por exemplo as fachadas).
No conteúdo, o melhor é ajustar, não é bom infrasegurar nem sobreasegurar, ou seja, garantir maior valor de que vale algo não quer dizer que lhe venham a pagar essa quantia, bem como a assegurar-lhes por menos do que vale, não acredito que você receberá em seguida o valor que custa, mas que receberá o montante pelo qual o segurado tenha.
Deve comparar os montantes das indemnizações a receber, nos seguintes casos:
Da responsabilidade civil: Garante as indemnizações que tivesse que pagar algum membro da família por danos materiais ou físicos, causados por seus atos ou omissões.
A defesa jurídica: Cobre as despesas que possam derivar de um julgamento: advogado, procurador, depósito, avaliação… por danos materiais ou físicos causados por actos ou omissões dos moradores da moradia garantida.
Comparar o seguro novo valor ou de reposição e valor real: um é o que lhe custaria novo o que já foi perdido em um acidente e o outro cobria o que realmente vale quando ocorreu este.
Se tem ou não cobertura de valor estético, ou seja, a reparação do sinistro e a sua conformidade com o adecentarlo para que fique como antes de ocorrer o sinistro.
Todos estes pontos são fundamentais para que os tenha claros e determinados economicamente os pontos que você deve comparar entre diferentes apólices de seguros.
Para terminar, você deve ter claro as coberturas que são imprescindíveis:
Incêndio
Danos por causas meteorológicas
Danos por água
Danos elétricos
Quebra de vidros
Ruptura de saúde e vitrocerâmica se a tivesse
Roubo
Actos de vandalismo
Substituição de fechaduras
Responsabilidade civil e defesa jurídica
Além disso, também podem interessar olhar se a apólice cobre:
Assalto na rua
Uso fraudulento de cartões de crédito
Assistência em viagem
Assistência aos empregados domésticos
Perda de alimentos congelados
Na hora de decidir e contratar o seguro para o alojamento que melhor se adapte às nossas necessidades e pagar um preço razoável, terá de levar em conta todos estes fatores.
Esperamos que com essas dicas você tenha mais clara os pontos mais importantes na hora de contratar um seguro de casa.

Deixe um comentário