O preço dos créditos ao consumo registra o melhor início de ano desde 2011

Após uma longa espera de dois meses, o Banco de Portugal, por fim, revela qual foi o preço médio dos créditos ao consumo, que concederam as instituições financeiras de nosso país, durante o mês de janeiro de 2017. De acordo com o órgão supervisor, a taxa anual equivalente aplicada sobre esses produtos foi de 8,68 %, mais meio ponto acima do dado registrado em dezembro de 2016. No entanto, há que se destacar que é o melhor início de ano desde 2011, quando a TAE registrada foi de 8,30 %.
Os empréstimos pessoais online lideram um mês mais o ‘top 10’
Este dado demonstra, uma vez mais, que as instituições bancárias de nosso país estão melhorando as condições de seus créditos ao consumo para aumentar a concessão destes produtos. Por isso, não é surpreendente que, no ranking dos dez melhores empréstimos pessoais não tenha nem um único crédito que exceda 8 % TAE. De fato, o produto que fecha o top 10, o Empréstimo Freedom de Mediolanum, tem uma taxa anual equivalente a apenas 7,26 %.
Além disso, é especialmente notável o esforço realizado por banca virtual para baratear seus produtos, pois através das entidades online, é possível obter um crédito ao consumidor com um preço muito abaixo da média. Na tabela abaixo podemos ver alguns exemplos:
Produto Montante Interesse Mais info

Crédito Projeto Cofidis Até 15.000 € Desde o 4,95 % TIN (5,06 % TAE)

Solicitar

Empréstimo Cetelem Até 50.000 € Desde o 5,95 % TIN (6,12 % TAE)

Solicitar

Empréstimo Plano Bigbank Até 15.000 € Desde o 6,74 % TIN (6,95 % TAE)

Solicitar

Empréstimo EVO Finance Até 30.000 € a Partir de 7 % TIN (7,23 % TAE)

Solicitar
Estes empréstimos não têm apenas um tipo de interesse muito reduzido, mas que, além disso, não incluem comissões ou produtos ligados de qualquer tipo. Além disso, todos eles podem ser contratadas, sem a necessidade de mudar de banco.
Cuidado com os custos associados à contratação de um crédito ao consumo
No entanto, apesar de que os créditos ao consumo sejam agora mais baratos do que há alguns anos, ainda é importante que olhemos para os possíveis custos associados à contratação destes produtos, pois podem encarecer significativamente o preço do financiamento. Nesse sentido, antes de adquirir um empréstimo, devemos consultar as comissões nos cobrar a entidade e perguntar se temos que formalizar a operação perante o notário, cujos honorários correrão também por nossa conta.
Além disso, também devemos verificar, antes de processar o pedido, se os empréstimos pessoais que nos interessam incluem seguro. De acordo com um estudo realizado pelo comparador Blog Economizando quase um de cada três créditos inclui um seguro de vida ou de amortização de pagamentos, cujo custo deve ser incluído no preço do produto de financiamento. Também é importante que aprenda a pedir o resto dos requisitos de ligação, pois é possível que, embora nos permitam obter um crédito a um preço melhor, não nos interessa aprofundar muito a nossa relação com a entidade.
Todos estes custos devem aparecer na guia INE (informação normalizada realpeia) do empréstimo que nos oferecem. Não obstante, se não temos muito claro que devemos olhar para saber se estamos perante uma boa oferta, recomendamos baixar o manual gratuito “Como pedir um empréstimo pessoal no banco, em 25 perguntas”, em que encontramos as chaves para conseguir financiamento, com boas condições.

Deixe um comentário