Guerra de preços em comissões de cartões entre ING e Caixabank

Ninguém disse que o processo de reestruturação bancária no Brasil fosse bom para a concorrência e vantajoso para o bolso dos clientes. O exemplo do que estamos vendo nestes dias.

No início do ano, INGDirect informou a seus clientes que poderão retirar gratuitamente dinheiro em caixas eletrônicos da rede ServiRed a partir de 60€. O que, pela primeira vez, supunha poder sacar dinheiro em todas as redes de caixas sem comissões, com o cartão de ENG. Totalmente grátis, a partir de qualquer quantidade nos caixas 4B e de forma gratuita nos caixas Euro6000 e Servired a partir de 60€ o levantamento.

Parece que isto não gostou nada ao dono, que é a maior rede de distribuidores em Espanha, Caixabank. Porque há poucos dias LaCaixa anunciou que irá cobrar 2 euros por tirar dinheiro em seus caixas eletrônicos aos clientes que operam com cartões de outros bancos.

Uma decisão que rompe com a concorrência do mercado doméstico de cartões no Brasil, fazendo uso de sua posição dominante. E é que, até agora, as comissões de cartões para sacar dinheiro em caixas eletrônicos, aplicava-se o emitente do cartão. E não o banco proprietário do caixa que dava serviço. Algo que terá consequências a médio prazo, o resto de entidades concorrentes e que já gerou algumas reações, como as seguintes.

Para começar, até há pouco tempo A Caixa, mantinha um serviço duplo para cartões emitidos na rede Euro6000 e ServiRed. Acordo que se estabeleceu, como consequência das sucessivas remoções de entidades, que incluía várias caixas de poupança pertencentes à rede Euro6000.

Acordo que, além disso, permitiu que aqueles outros bancos da rede Euro6000, continuar a utilizar os caixas eletrônicos da Caixa, sem custo, de acordo com a taxa de transferência entre eles.

Como dizia, o banco emissor do cartão recolhidos ou não pelo levantamento e, posteriormente, ao proprietário do caixa, dava-se-lhe uma parte da comissão cobrada ou pagava pelo serviço um preço acordado. Que sondava os 0,45€-0,65€.

Mas é que o prêmio de Caixabank com as comissões de cartões de outros bancos para tirar dinheiro em sua rede de caixas eletrônicos, não apenas dá as costas para o resto de entidades de outras rede, mas que se destaca de seus parceiros ServiRed. Como o BBVA, Cajamar, Deutsche Bank ou Fundo, clientes, aos quais, mesmo sendo da mesma rede, também foram contabilizados os 2 euros.

E além disso, após isso não haverá nenhuma entidade no mercado, que possa oferecer sacar dinheiro em caixas eletrônicos sem comissões.

Convém ter claro quem ganha, porque, como usuários, essa comissão não vai poder reivindicar a sua própria entidade. Porque quem cobra é Caixabank.

Em princípio, vem justificado pela forte investimento em novos recursos de última tecnologia. Mas se é verdade, representa um forte golpe na mesa, para fazer valer a sua vantagem dominante perante a concorrência, com a sua vasta rede de caixas eletrônicos.

Será a partir do dia 23 de fevereiro de 2015, quando começar a trazer esta comissão. E com certeza, vai gerar muitas reclamações de clientes às suas entidades, que não vão poder ser resolvidas. Há que lembrar que, neste período de anemia do negócio bancário tradicional, as comissões trazem uma soma importante de receitas para a conta de resultados.

Neste contexto, além disso, ele coloca muye em valor, a vantagem competitiva de cartões emitidos por Self Bank. Entidade online participada por Caixabank. Que será das poucas entidades que não tenham que pagar essa comissão por usar o cartão em caixas eletrônicos Caixabank.

O resto de bancos terão que reagir a propor acordos com outras redes ou entidades e assumindo o custo que isso representa. Tudo isso para que as comissões de cartões, não constituam um reator, que possa afectar a qualidade de serviço.

Como consequência dos processos de fusões e absorções, há províncias ou regiões dominadas por um tipo de rede. O que limita a competitividade das que têm uma presença minoritária.

Mas, além do golpe externo, que receberam de Caixabank os clientes do ING Direct, a partir de dentro também levou um balde de água fria.

E é que as comissões de cartões ING no estrangeiro, sobem um pouco quando se trata de pagamentos em outras moedas. Haverá que pagar 3% adicional aos dois euros habituais, se fazem pagamentos presenciais ou online em moeda estrangeira.

Estas alterações entrarão em vigor a partir do dia 11 de abril. E deixam claro que os movimentos bancários e as guerras de preços do mercado continuam. Mas contra o que se poderia pensar, prejudicando os interesses dos clientes.

Deixe um comentário