Empreender e conseguir empréstimos para empresas em Portugal é mais difícil do que no Uzbequistão

Assim é. Começar um negócio em Portugal e um empréstimo para empresas é mais complicado do que no Uzbequistão, de acordo com o estudo “Doing Business 2017”, elaborado pelo World Bank Group, onde foi comparado a regulação empresarial de 190 países. Além disso, elaborou vários rankings em que classifica cada país, de acordo com uma de suas variáveis, a categoria “começar um negócio”, Portugal está na posição 85, enquanto que o Uzbequistão está no 25, e em “Obter crédito” nosso país se situa na posição 62 e o Uzbequistão, o faz no posto e quarenta e quatro.
Por que é tão difícil conseguir empréstimos para empresas?
Portugal é um país que, tradicionalmente, tem recorrido a instituições bancárias na hora de buscar financiamento. De fato, apenas 22% das pequenas e médias empresas no nosso país tenta buscar empréstimos para empresas de fora de um banco, de acordo com um estudo realizado pela Universidade de Valência e, de acordo com um estudo de Inbonis, apenas 3% dos empréstimos para empresas em Portugal são concedidos por instituições financeiras que não são um banco.
Como fazemos com nossos fornecedores, é importante diversificar as nossas fontes de financiamento. Hoje em dia, graças ao fintech, podemos encontrar uma grande variedade de empréstimos para empresas de mãos de instituições de capital privado. Um dos tipos de empréstimos para as empresas que mais está crescendo hoje em dia são os empréstimos P2P, com os que vários investidores, através destas plataforma, nos prestarão o capital que precisamos em troca de uma rentabilidade (juros do empréstimo que pagamos). Além disso, também podemos encontrar outro tipo de créditos, com finalidades mais específicas, como o leasing, o que nos permite alugar o equipamento por um prazo determinado, pagando cerca de mensalidade à entidade do locatário e, uma vez terminado o contrato, teremos o direito de adquirir o bem alugado, pagando o capital remanescente. Também podemos encontrar os créditos de fatoring, com os que cedemos uma ou várias faturas à instituição financeira em troca de um adiantamento do pagamento dessa fatura e será a instituição financeira a que se encarregue de cobrar a fatura no prazo acordado.
Em suma, é importante conhecer as diferentes opções alternativas ou complementares aos empréstimos para empresas bancários, desta maneira, ter mais chances de conseguir o financiamento de que precisamos para empreender.
Quão difícil é embarcar em outros países
No ranking geral, com a categoria de “ter um negócio”, de “Doing Business 2017” Portugal está em 33º lugar, enquanto o Uzbequistão, o faz na posição 87. Esta diferença é marcada por outras variales como lidar com as permissões de construção, pagamento de impostos, proteger os investidores minoritários ou poder importar de forma internacional em que o nosso país está em uma posição melhor do que o Uzbequistão.
Dentro do ranking de “começar um negócio”, encontramos nos dez primeiros países como Nova Zelândia, Canadá e Singapura, entre outros e, no que se refere ao ranking de conseguir empréstimos para empresas, estamos a Nova Zelândia, Rússia e Estados Unidos, os três primeiros colocados, consecutivamente.
De todas as maneiras, a facilidade ou dificuldade de empreender em qualquer país depende também dos procedimentos que realizamos para nos tornarmos autônomos ou criar uma empresa, o tempo que demoram para ser feito todos estes procedimentos ou as diferentes categorias em que o World Bank Group categoriza os diferentes países.

Deixe um comentário