Em que investir o seu dinheiro de forma segura

Ter um olhar para a rentabilidade atual dos depósitos em nosso país é o de colocar a vista sobre um produto que em menos de um ano caiu em sua rentabilidade de maneira espetacular. Perante isto o saver não sabe o que possibilidades você tem para tentar obter mais remuneração por suas economias.
E o certo é que, em geral, como veremos, quando se trata de produtos garantidos, as perspectivas não são nada boas para o restante do ano.
Os depósitos em mínimos históricos
Longe está o tempo no verão de 2013, quando ainda éramos capazes de encontrar depósitos a 12 meses, no ambiente de 3%. Então, quando não se esperava a tremenda queda de rentabilidade que depois aconteceu, ainda eram muitos os analistas que se queixavam de 3% de rentabilidade, lembrando-se da proibição de que a lei Salgado de 2009 impôs sobre os extra tipos, limitando a rentabilidade aos depósitos que mesmo vimos superando esses períodos de tempo, a barreira de 5%.
Depois disso, chegou a recomendação sobre a limitação às remunerações por parte do banco de Portugal, bem como o ajustamento em baixa das taxas de juro em toda a Realpa, com o preço do dinheiro mais baixo do que nunca, e com a recomendação da revisão em baixa das rentabilidades dos depósitos foi localizado em uma barreira que parecia impossível de alcançar, com rentabilidades médias nas ofertas a 12 meses, que raramente ultrapassam 1%.
“9429”]
O panorama
Em geral correm maus tempos para as economias garantidas. Realmente não só os depósitos sofreram esta descida, podemos encontrar também uma queda muito significativa da rentabilidade nas contas remuneradas, e, para aqueles habituados a compra de letras e obrigações do tesouro público, não há mais que ver como durante este ano foi batido todos os recordes de queda de rentabilidade em todas as emissões e períodos.
É dizer, a economia tradicional, baseado na garantia de retorno de capital mais juros é de camada queda absoluta, e só aqueles poupadores muito conservadores que não têm interesse em expor o mínimo é dinheiro seu em que, teoricamente, deveria incidir, no entanto, os depósitos cresceram em património e todas as emissões de títulos de dívida pública este ano e têm tido uma procura muito elevada, independentemente da rentabilidade…por quê?
Pois, fundamentalmente, porque a poupança continua tendo medo ao conceito de investimento, e escolha rentabilidades muito baixas por que garantem, pelo menos, o retorno do capital mais uma remuneração por pouca que seja, isso pode valer em um momento como o atual, em que, em pleno processo de desinflación, as remunerações obtidas encontram-se próximas a bater a inflação, mas a um impasse no final do ano, mas, em um processo normal de inflação nosso dinheiro, obviamente, deixa de ter o mesmo valor e sim poderíamos falar de perdas (mesmo que relativa, é claro)
As alternativas
Neste contexto, as alternativas não são muitas para quem não quer se mover de uma posição conservadora em relação às suas economias.
Ficaria por explorar a via dos fundos de investimento mais conservadores, monetários e garantido que não vão expor o capital do usuário, na mesma proporção, logicamente que outros modelos de investimento, no entanto, não esperemos obter rentabilidades muito superiores às que os depósitos oferecem, e, de fato, em muitas ocasiões, será necessário comparar os custos de um e outro produto para encontrar a melhor opção.
A opção de seguros de poupança e os planos de poupança sistemática também reduziu sua rentabilidades médias, embora, é verdade, aqui em produtos, a longo prazo, nós vamos encontrar, provavelmente, rentabilidades melhores, a costa de preços superiores de produto e, em certos casos, a um modelo de economia não é adequada para todos os bolsos e tipos de poupança.
A alternativa mais imediata em todo caso, seria começar a abrir um pouco o perfil de risco, ou seja, começar a correr alguns riscos em busca de melhores rentabilidades.
Embora nos últimos anos houve muitos altos e baixos nas bolsas mundiais, a renda variável continua tendo um comportamento excepcional. Portanto, se você quer investir por conta própria, renda variável continua sendo uma das melhores opções já seja comprando sua mesmo as ações ou apostando por fundos de investimento mistos ou indiciados.
Isso sim, se você vai entrar por sua conta, não se esqueça de manter-se atualizado com um bom calendário econômico que te conte tudo o que acontece no mundo, de diversificação e de estar sempre pendente de colapso seus investimentos rapidamente em caso de problemas. Só assim conseguirá manter-se acima da curva e tirar rentabilidade económica

Deixe um comentário