Em que consiste o novo recibo da luz?

O que há na vossa caixa de correio diariamente? Há que dizer que, com isso, já que quase ninguém escreve cartas à antiga usanza, a caixa de correio tornou-se um lugar de “más notícias”. Abrimos e, o que é que encontramos? Notas fiscais, faturas, algum catálogo de publicidade e… óh! mais faturas.

Cada vez são mais os pagamentos periódicos, que temos que enfrentar. A água e a luz somaram-se a ela, pouco a pouco, os recibos do telefone móvel, mais tarde, o ADSL, seguros… O caso é que, como diz a minha mãe, estamos sempre pagando alguma coisa!.
Pois atento! Que, aparentemente, a factura da luz nos visitar com mais frequência a partir de alguns meses. Estamos diante de uma possível mudança do sistema do novo recibo da luz.
E não penseis que eu estou inventando!. Sou consciente de que não há muito que nós começamos com o leilão elétrica, e esta já está vendo o seu fim. Mas… o Que era isso de leilão elétrica e para onde nos endereçamos agora?
Com o leilão elétrica, na factura da luz vimos, pagando em base a dois conceitos:
Parte fixada pelo governo, em mais de 60%.
O 40% restante depende do consumo de cada casa.
É dizer, que devemos consumir ou não, existe uma quantidade fixa, ou, no mínimo, pago em cada fatura.
Mas a esta modalidade de fatura, restam-lhe os meses. Concretamente, no próximo abril entrará em vigor um novo sistema para fixar o preço da luz.
Novo sistema de fixação do preço da luz
Estes dois componentes, serão modificados aumentando em 20% a parte fixa e diminuindo, portanto, a variável. Além disso, a montante variável da fatura é fixado em função da evolução do mercado abastecedor, ao que informam como “pool”.
E o que isso quer dizer? Digamos que, o quilowatt consumido em energia agora terá um preço variável jornal (e não trimestral como até agora). Para fazer uma ideia, seu comportamento será semelhante ao das ações em bolsa, vamos. Além disso, prevê-se que o preço será tão instável, que poderemos passar de uma quantia para outra em apenas alguns dias.
Disso podemos tirar claro que, o tema de leilões, não fica afastado do todo. Já que os leilões continuarão realizando-mas, como já vimos dizendo é efectuada diariamente. Mas seu comportamento, em vez de vir condicionado por operações de compra/venda como na bolsa, aqui o preço é determinado pela demanda e as energias operativas.
Portanto, é de se esperar que aqueles dias em que há maior demanda de energia, o preço da mesma, aumente. Assim como aqueles dias de frio ou vento, ao dispor de maior energias operativas, o preço sofrer um prejuízo.
Assim, a medida maluquinha é estar pendente, e acender as luzes apenas os dias de frio ou vento, ou em horas cuja demanda seja menor, hehe.
Um sistema teoricamente mais barato
A boa nova deste sistema, é que, de acordo com o Ministério da Indústria, poderíamos estar diante de um barateamento da energia que ronda em torno de 3%.
O problema é que, para poder beneficiar de um consumo parcimonioso, ou seja, aproveitar aquelas horas em que a luz fique mais barato para, por exemplo, colocar a máquina de lavar roupa, precisamos mudar o nosso contador, por um digital.
Isto é devido a que os contadores tradicionais que temos, não distinguem entre uma hora a mais cara ou mais barata, não refletem.
Os novos contadores digitais (ou inteligentes), não somente servirão para reconhecer que estamos colocando a máquina de lavar em uma hora de “energia barata” (hora vale), mas que também permitem realizar as leituras de contador, de forma real e à distância.
A implantação dos mesmos, estima-se de carácter obrigatório para o ano de 2018, então, enquanto isso, e ante a impossibilidade de quantificar o consumido a cada hora, a fatura é gerada em torno de uma média com base no preço de atacado.
“3029”]
Como será a factura?
Apesar de que a cada dia pagaremos um valor diferente para o nosso consumo, devido a que o novo sistema é regido por trechos de horários, você continuará pagando tudo em uma factura final. Até hoje, a factura nos chegava de forma trimestral, mas a partir de abril, vamos falar de uma fatura mensal ou bimestral (a gosto do consumidor).
Por isso, agora não saberemos com tanta precisão quanto será a nossa factura da luz, já que esta não será fixada no início de cada trimestre, mas ao final de cada período.
Mas o que podemos fazer é consultar a página oficial do Operador do Mercado Ibérico de Energia, onde podemos tirar uma clara conclusão de “a quanto está hoje a luz”.
Outra alternativa é solicitar uma tarifa plana, que se espera que as empresas coloquem à disposição do consumidor, com o que poder pagar um preço estável, que nos permite saber quanto vamos pagar a cada mês. Mas, esta “estabilidade” não nos permitirá economizar, e seu preço será, logicamente, acima do de um consumo normal.
Estaremos brincos…
Apesar de que o clamor de leilão que temos hoje, o que deixamos para trás, temos que estar pendente conforme vão passando os dias para ver em que desemboca finalmente, esta nova proposta.
No momento, não deixaremos de procurar informações. E se, no final, é possível economizar com este novo sistema, em Abril traremos novidades!
Até então, nós lhe esperamos com os braços abertos na seção de comentários!

Deixe um comentário