É o mesmo investir em empréstimos P2P que em ‘crowdfunding’?

As fintech mudaram, em grande medida, muitos dos processos e produtos financeiros, tal como os conhecemos. A partir de empréstimos on-line, até novas formas de investimento, como são os empréstimos P2P, também conhecidos como crowdlending, ou o crowdfuding. No entanto, com a rápida evolução e tantos termos anglo-saxões, às vezes podemos confundir termos e não saber exatamente quais são as diferenças na hora de investir em novos produtos nascidos do fintech.
Onde investir nosso dinheiro, a principal diferença
Tanto o crowdlending como o crowdfunding partem da mesma base de funcionamento onde a plataforma coloca em contato para investidores com pessoas ou projetos que necessitam de financiamento. Mas a finalidade para a qual se recolhe o dinheiro é diferente. No caso do crowdlending, ou empréstimos P2P, as plataformas colocam em contato com pessoas ou empresas que buscam financiamento com investidores dispostos a prestársela em troca de uma rentabilidade (juros que pagam pelo crédito). Por exemplo, os Empréstimos P2P Younited Credit permitirão aos particulares financiar qualquer finalidade até 40.000 reaisdesde o 6,34 % TAE, o que permitirá às pessoas obter empréstimos mais baratos e aos investidores obter rendimentos muito acima do que outros produtos a prazo fixo.
Mais informações sobre YounitedCredit
No caso do crowdfunding na plataforma reúne os fundos para um projeto em particular, como poderia ser a compra, reforma e posterior venda de um imóvel, onde os benefícios são obtidos pela revalorarización desta habitação e repartirían entre todos os investidores.
Desta forma, a escolha sobre que tipo de plataforma recorrer depende do tipo de investimento que deseja realizar. Se você prefere investir em empréstimos a particulares ou empresas ou em projetos de diferente natureza. No primeiro caso, os empréstimos P2P, estaremos investindo em dívida com juro fixo, enquanto que no segundo, estaremos investindo em um bem de raiz, com um rendimento que varia de acordo com o mercado se formos para as plataformas de crowdlending imobiliário.
As semelhanças entre as duas formas de investir
Como dissemos antes, as duas plataformas funcionam de forma muito semelhante. As empresas de empréstimos P2P e crowdfunding colocam à nossa disposição um marketplace onde poderemos conhecer todos os detalhes de todos os projetos que buscam financiamento com juna ficha técnica, onde são detalhados todos os dados importantes como a rentabilidade que poderemos obter, o prazo, o nível de risco que asumiremos…De desta maneira poderemos escolher entre os diferentes projetos com os que estão de acordo com o nosso perfil como investidor.
Outra das semelhanças é que, por lei, o máximo que poderemos investir neste tipo de plataformas estará limitada aos investidores não-credenciados, pessoas físicas, sem formação em investimento, a 3.000 reaismáximo por projeto e de até 10.000 reaisanuais no conjunto de todas as plataformas, já que este tipo de investimento não é garantida por nenhum Fundo de Garantia.
Quanto ao custo, essas plataformas não costumam cobrar taxas de abertura ou custódia, simplesmente uma comissão de gestão, no caso de um projeto onde temos investido tenha tido rentabilidade. Este custo ronda entre 1 % e 3% sobre os lucros auferidos.

Deixe um comentário