Dicas sobre como compartilhar despesas do casal e evitar discussões

Além do amor, em um relacionamento entre duas pessoas, também é importante saber como gerir o dinheiro e compartilhar os gastos do casal. Porque, em pouco tempo, pode se tornar um motivo de conflito e de discussão entre ambos.

Quando você começa a sair com uma pessoa é um tema que se evita ou não costuma comentar. E onde cada um decide como agir sem consultar o outro ou compartilhar informações. Mas, desde o princípio, podem-se dar as primeiras lonas, quando uma das duas pessoas, sente que suporta mais carga financeira nas despesas sobre as atividades que ambos compartilham.

Culturalmente há quem assume que deve ser o homem que enfrente todos ou a grande maioria dos gastos do casal que surgem ao ir conhecendo. Copos, restaurantes, shows, férias, etc., Não obstante cada vez são mais as mulheres que trabalham, que rejeitam essa ideia e adotam o papel masculino pagando delas ou escolhem ir em partes iguais desde o início.

Saber como lidar com a economia em casal e falar claro desde o início, são a garantia para evitar discussões futuras por questões de dinheiro do casal. Não apenas nos primeiros momentos, mas também mais tarde, quando a relação se consolida e há convivência entre ambos.

O que une o amor que não o separe o dinheiro. Embora algumas histórias estão mais baseadas no dinheiro do que no amor. Conto-Te alguns conselhos para evitar os problemas das finanças do casal.

Não se costuma falar muito dessas coisas entre os casais, mas é um tema que afeta constantemente as relações.

Ao conhecer-se é raro que as partes saibam um do outro exatamente quais são seus renda ou situações econômica e muito menos o seu ritmo de vida, embora algumas coisas saltem à vista. Mas também é verdade que há pessoas que mantêm uma fachada que não corresponde, depois com o estado da conta corrente.

Quem mais e quem menos saberá a que se dedica um e outro. Mas ninguém dirá quanto dinheiro você ganha por mês. É uma parte de nossas informações pessoais, sobre as quais a maioria das pessoas guardamos mais zelo. Quando, na realidade, não vai ser difícil intuir uma cifra aproximada, esse sigilo pode levar a que a outra parte se faça uma ideia figurativa. E esse é o começo de problemas ao compartilhar despesas do casal.

Se vocês trabalham os dois e você quiser levar as despesas em par para médias, o lógico seria que contribuísse na proporção dos rendimentos de cada um. Se se leva estritamente a 50%, corre-se o risco de que, se um dos dois será mais justo ao final do mês, veja-se frustrado e de origem a desconforto e discussões sobre os projetos ou atividades a realizar juntos.

No caso de que um dos dois não trabalhe ou tenha rendimentos muito baixos, também não seria conveniente que uma pessoa que suporte o peso de todas as despesas do casal. Quem menos disponha tem que tentar fazer um pequeno esforço.

Ao final, trata-se de evitar que ninguém possa dar na cara da outra pessoa que paga tudo ou impor decisões porque você é quem ganha o dinheiro do casal.

As discussões no âmbito das finanças do casal, acabam repercutindo em outros planos da relação e emborronado a felicidade que se pode ter juntos.

Desde há já alguns anos, acabou isso de que é meu é dele e o dela é meu. A vida moderna, a independência de cada um dos indivíduos que formam um casal, faz com que este conceito seja já um paradigma obsoleto.

Quando já existe um vínculo estabelecido, é viver em casal ou como um casamento, o mais saudável costuma ser abrir uma conta comum para as despesas do dia a dia dos dois. Onde se trate de fornecer a mesma quantidade com regularidade pelos dois lados. E aí pagar o vezes e conservar para compartilhar despesas ou objetivos comuns, como uma viagem, férias, atividades de lazer etc.

Se você convive de alugar ou comprar uma casa financiada com uma hipoteca, claramente, tem que abrir uma conta comum para compartilhar os gastos em casal da habitação. É o mais saudável e simples para resolver problemas futuros que possam surgir, como uma separação ou extinção de condomínio.

Para as despesas comuns pode ajudar a fazer um orçamento de despesas ou usar uma folha de contabilidade, de economia doméstica.

Depois, há que ter cuidado com os gastos pessoais e os caprichos. Tentando separá-los dessa caixa comum. Já que é possível que um dos dois se sinta desconfortável se gasta mais em benefício ou para interesses de apenas uma pessoa.

É mais do que recomendável seguir mantendo outras contas separadas. Além de manter uma certa privacidade financeira, é por uma razão de estilos de vida diferentes.

O princípio de se conhecerem, cada pessoa pode levar um ritmo de gasto diferente, alguns vícios ou umas hobbies, que representam um maior pagamento todos os meses. E isso tem que ir claramente diferenciado dos gastos em casal e não tem que ser obstáculo para contribuir para o pote comum.

É também pelo fato de que cada um pode ter alguns objetivos ou metas financeiras diferentes. Porque além de separar as despesas pessoais, também há que respeitar os objetivoss de poupança de cada pessoa. Poupar para estudar um mestrado, aulas de inglês, comprar uma moto por lazer, etc.

Para compras grandes e objetivos financeiros comuns, também é importante para economizar em comum para compartilhar esses gastos em casal. E sobre a despesa a realizar.

De cada qual depende, em seguida, decidir se a sua conta pessoal quer pagar ou assumir qualquer despesa dos dois, para ter um detalhe com a outra pessoa.

Também é recomendável fixar adequadamente o regime de bens, se decidir dar o passo de se casar. Estabelecer separação de bens não é necessariamente um sinal de menos carinho para a outra pessoa. Se algum dos dois desenvolve actividades profissionais por conta própria, é o mais aconselhável.

Parece uma coisa supérflua, mas se você não se sentir a falar dos temas das finanças do casal, pode acabar sofrendo interferências na sua relação com questões relacionadas com o dinheiro.

Há quem pense que sem dinheiro não se pode fazer nada, nem se pode ser feliz. Mas não pense que por pagar tudo do seu bolso estas comprando a felicidade de outra pessoa. Se é assim, ler isso você deve fazer pensar um pouco.

Como gerir tu o dinheiro em casal? Você já teve alguma vez a discussão sobre compartilhar despesas do casal em alguma relação? Como resolver o problema das despesas em comum?

Deixe um comentário