Dicas para Tomar o Controle de suas Finanças Pessoais

Não importa em que continente se viva, em que país ou qual é o estrato tenhamos, a gestão das finanças pessoais é um tema que nos preocupa a todos, saber como controlar nossos estados de acordo com a nossa renda é algo com que lidamos diariamente.
Para conseguir ser nossos próprios assessores financeiros devemos criar certas regras, controles e hábitos que nos ajudam a gerir o nosso dinheiro de uma forma inteligente, quer que os nossos rendimentos estimados mensais sejam de alta, média ou baixa quantidade.
PRINCIPAIS RECOMENDAÇÕES
Estabelecer um orçamento específico de despesas mensal, ao saber o quanto ganhamos mensalmente devemos fixar o valor estimado de nossos despesas durante o prazo de um mês e separá-los por áreas, perguntar-nos Qual é o valor para custear a minha habitação? (em caso de aluguel ou renda) Qual é o custo dos serviços públicos? Quanto dinheiro gasto em alimentos e alimentação? Quanto dinheiro é gasto em transporte? (No caso de fazer uso de transporte público, como no caso de fornecer combustível em veículo próprio). Estes seriam os nossos saídas de alto nível para os quais devemos somar as saídas de baixo nível, como despesas de telefone móvel, gastos na compra de artigos pessoais, entre outros.

Pagar qualquer tipo de dívida, é recomendável definir um plano para pagar todas as dívidas existentes, o mais rápido, qualquer tipo de créditos, seja em cartões, em bancos, em educação, em propriedades, todos e cada um deles deve estar na lista de contas a pagar. Nesta lista, devemos calcular o valor atual total, a taxa de juros e o pagamento mínimo que podemos fazer, mensalmente, e adaptá-lo ao nosso orçamento.
Criar e manter um diário ou registro de despesas, se sabemos o que gastamos sabemos o que poupamos, a maioria das pessoas não conhecem com precisão o seu padrão de consumo, diariamente realizam despesas que então não se lembram de ter feito, por isso é importante manter um diário onde se apontem todos os gatos que fazemos, sejam eles grandes ou pequenos. Neste diário, podemos trazer a data, o valor exato e o conceito de despesa, desta forma, ao final do mês poderemos saber em que estamos gastando mais e manter um controle mais rigoroso.
Economizar uma quantia mensal, não deve necessariamente ser uma grande quantidade, com que tenha de reservar uma pequena parte de nossa renda mensal é suficiente, o dinheiro pode ser destinado a uma conta bancária específica, onde, além disso, possa gerar interesses. Para torná-lo ainda mais preciso, a nosso salário podemos tirar um 5% ou 10% e é esse percentual que vamos guardando e guardando cada mês, desta forma podemos mentalizarnos que o nosso salário, na verdade, é apenas 90 0 95% do montante que entra. Ao finalizar o período de um ano teremos economizado dinheiro que pode nos ajudar em despesas pessoais ou de emergência.
Investir de forma alternada em seu negócio principal, se bem que em vez de pertencer a alguma empresa somos trabalhadores autônomos ou independentes com negócio próprio, é recomendável realizar investimentos externos e paralelas a ele, a diversificação é de suma importância, pois permite NÃO ter todo o nosso capital em um só ente e isso nos ajuda a reduzir riscos financeiros e de investimento.
Ter um fundo de segurança ou backup de dinheiro, a contar com um suporte de dinheiro nos permite estar mais tranquilos se apresentam emergências ou despesas que não estavam planejados, financeiramente, é importante ter um fundo cuja soma nos permita subsistir sem rendimentos, pelo menos por um período de 2 a 3 meses, o que indica que deve ser o equivalente a 2 ou 3 salários. Ter este backup, além disso, permite o poder de tomar decisões de vida transcendentais diminuindo riscos, ou seja, ser capaz de mudar de emprego, de moradia, começar um negócio ou empresa, etc.

COMO CRIAR O HÁBITO DE POUPAR?
Principalmente, devemos ter em conta que, para criar um hábito de poupança, há que começar por mudar e renovar a nossa atitude e a nossa mentalidade. A disciplina como em todas as áreas da vida será fundamental para tornar esta prática algo que exerçamos constantemente. Ao começar, é importante definir uma meta clara pela qual iremos realizar vários sacrifícios para ir poupando algum dinheiro, em nossa mente, devemos estar conscientes de que cada sacrifício e cada esforço para não gastar muito dinheiro nos aproxima ainda mais da meta ou a esse “prêmio” que queremos obter.
É essencial identificar nossas fraquezas no momento da compra, quanto mais nos conhecermos a nós mesmos mais facilmente poderemos ter o controle na hora de consumir. Devemos tomar o tempo para combater essas fraquezas e controlá-las, isto é alcançado quando conseguimos saber a diferença entre os nossos desejos ou caprichos e as nossas verdadeiras necessidades. Todas essas premissas nos ajudarão a pensar mais no futuro, uma poupança estará sempre pensando no amanhã e vai ter absoluta consciência de que cada ação tem uma consequência, a curto ou longo prazo, o dinheiro que você está gastando demais, hoje, é o que eu poderia te fazer falta amanhã.
Na atualidade tecnológica pode ajudá-lo com uma variedade de aplicativos e serviços da web que fazem economizar dinheiro em algo divertido, colocándotelo como um desafio do qual você deverá superar todas estas ferramentas podem facilitar o processo, fazendo render muito mais suas finanças pessoais.

Autora: Maria Carrilo

Receba os Nossos artigos em sua caixa de correio electrónico. Junte-se a nossa comunidade, é grátis.

Nome

Endereço de email: