Conta corrente ou conta salário, Qual escolher?

Tenho uma amiga que chamamos de “cazatesoros” porque está sempre interessado pelos diferentes produtos que oferece um banco e outro para ficar em melhores condições. “Eu não me caso com os bancos!”, diz-nos sempre…
Visto assim, parece-me uma iniciativa plausível, já que é a única forma de manter “vivo” o teu dinheiro. Mas a experiência nos diz que este tipo de táticas podem sair caras, se não temos os conhecimentos mínimos sobre os produtos bancários como para fazer e desfazer acordos com os bancos. Há que tomar com pés de chumbo!
No artigo de hoje, e lembrando-me de meu corajoso amigo, quero esclarecer a diferença entre produtos muito comuns, e que estão em todos os bancos: as contas. Qual é a diferença entre uma conta corrente e uma conta salário? Vamos ver:
Conta corrente
A conta corrente hoje em dia é muito utilizada por todos, já que nos permite entrar na conta do nosso dinheiro e poder ter ele sempre que quisermos. Como seu próprio nome indica, é a conta mais comum, pois o seu funcionamento é o mesmo que o de um mealheiro: Colocar e tirar dinheiro, sem mais.
É muito provável que alguma vez vos tiverdes encontrado com outra modalidade muito comum ultimamente: a conta de poupança. Será que são iguais? O Diferentes?
Atualmente, e, salvo alguma pequena exceção (que, no caso de existirem, haylas, como as meigas…), as contas correntes e de poupança funcionam de forma idêntica, e sua única diferença costuma ser bem mais tangível, já que as contas correntes não tem primer, enquanto que as economias se.
Antes, as contas de poupança não permitiam relacionar cartões de crédito ou débito, nem realizar através delas uma transferência, entre outras coisas. Mas, hoje em dia, ambas as contas funcionam de forma semelhante, dando passagem para os depósitos e outros produtos, que são os que realmente oferecem determinado interesse pela sua contratação.
“9429”]
Conta salário
Uma conta salário não é muito diferente de uma conta corrente. Esta conta unicamente com a diferença de que para abri-la, é necessário contar com uma nómina ou pensão domiciliada (ou seja, que o valor da nómina ou pensão tem de entrar em esta conta e não outra).
Em troca, a conta salário costuma desfrutar de algumas vantagens em relação a uma conta corrente, como por exemplo, um presente de boas-vindas, menos as comissões, os melhores interesses… etc. Mas para ter esta conta é necessário um período mínimo de permanência.
Com isso, o que se busca é fidelizar o cliente a um banco, já que a troca de melhores condições, ou de um presente (agora tendem a oferecer produtos como televisões, i-pad, etc), o banco assegura uma entrada de dinheiro por parte de um cliente, pelo menos durante o tempo de permanência estipulado no contrato.
Embora isso, não sempre tem que ser. Por exemplo, a conta da folha de pagamento do Banco Popular funciona geralmente como uma conta corrente (não paga comissões, podem associar-se cartões de crédito ou débito, etc), mas além disso, não tem permanência.
Por isso, é por isso que devemos saber bem o que estamos contratando, antes de assinar, já que podemos esperar que, porque “a conta da folha de pagamento de nossa vizinha” tem certas características, em qualquer banco deve ser do mesmo modo e, como podemos ver, embora se possa falar de certas generalidades, nem sempre são cumpridas.
Então…O Que?
Ao final, todos são nomes, mas o produto vem a ser o mesmo. Então, se você não tem nómina ou pensão, em uma conta aberta em um banco, agora sabe que se trata de uma conta corrente ou poupança, enquanto que, se você está oferecendo alguma vantagem “extra” como um presente, devolução de recibos ou melhores condições, você estará diante de uma conta salário.
Outra coisa é que depois que nenhum desses produtos seja o ideal para economizar a longo prazo.
Em qualquer caso, lembre-se que, seja como for, nunca deve aceitar um produto sem tê-lo compreendido. Assim que não te cortes, e pergunte ao seu banco todas as dúvidas que você tem e durma tranquilo!
3 artigos recomendados:
Erros financeiros que deve evitar para os 20, 30, 50 e 60 anos

11 jogadas que o banco tenta mergulhar e que deveria conhecer.

5 dicas para viver em eternas férias

Deixe um comentário