Compra ou locação, o dilema da habitação em 2016-2017

São muitas as variáveis que influenciam na hora de avaliar se é melhor comprar ou alugar um apartamento para viver e, além disso, a solução para este eterno tema de debate, tem diferentes respostas de acordo com o momento em que se coloca.

Por essa razão, alguns anos depois do início da crise financeira e depois de importantes reduções no preço da habitação, quero voltar a colocar a questão de viver de aluguel ou comprar apartamento no contexto atual.

Com o passar dos anos e a queda dos preços, já foi digerido parte do estoque de moradias de segunda mão livre, foram vendidos muitos apartamentos de bancos e começam a se recuperar timidamente as promoções de obra nova.

Parece que os preços de imóveis se estabilizaram, com aumentos muito moderados em zonas pontuais. No aluguel, por sua vez, após alguns anos de queda dos preços dos aluguéis, pela maior oferta, parece que também foi atingido um solo. Quando é melhor comprar ou alugar? O financeiramente é melhor morar de aluguel ou comprar uma casa?

Para começar o primeiro filtro para o que há que submeter-se a relação entre compra ou aluguer, é a situação pessoal de cada pessoa.

Ou seja, se você tem uma renda escassos e pouco estáveis, claramente me decantaría por aluguer. Sempre e quando você puder aceita-lo economicamente.

Em seguida, está o tema da mobilidade geográfica. Se ainda não estas assentado trabalhistas e estas aberto para poder mudar de cidade para encontrar um emprego ou desenvolver-se profissionalmente, não vejo lógico que se ancles a uma cidade comprando andar.

Por muito que possa ser o seu que alugar essa casa, ou você pode vender, se ao cabo de algum tempo, decide ir viver para outro sítio, acho que estás comigo de acordo, em que o aluguel se facilitará muito mais o processo e proporciona uma maior liberdade do que ter um apartamento na propriedade.

O terceiro ponto-chave para decidir comprar ou alugar, além de estabilidade no emprego e da mobilidade, está o tema da poupança.

Se tens boa capacidade de pagamento, mas por seu estilo de vida você é incapaz de salvar, você provavelmente não se importa enredarte com a compra de uma casa. O primeiro, porque para conseguir boas condições de financiamento, o banco vai dizer que te mojes em seu investimento, e a adição de 20% de tudo o que te custa a casa, mais as despesas.

E ainda no caso de que se, por exemplo, lhe dessem 100% comprando um apartamento de bancos, não te recomendo que considere o compromisso de pagamento de uma hipoteca, já que certamente você vai andar muito pouco o ritmo de vida e gasto que tinhas antes de comprar o apartamento. E essa operação não tem uma marcha a trás simples. Já que se quesea não comprar o bem ou baixa o preço de sua habitação, o preço de venda pode ser inferior ao da sua dívida.

Mas tudo bem, dentro do que o complicado que pode ser o assunto, vamos imaginar que se dão as condições de estar na disposição tanto de comprar ou alugar, sem nenhuma restrição, e que o que se gera dúvidas é o tema de se financeiramente convém mais uma coisa do que a outra.

Quando nós olhamos o que se passa em um de nossos países vizinhos, como é o caso da Alemanha, vemos que ali predomina o aluguel em frente ao prédio em propriedade.

Dentro do que claro que haverá de tudo, a classe média alemã, que tem bons salários, tem capacidade para pagar um aluguel, consumir e comprar bons carros, mas também para poupar para o futuro.

E digamos que, em sua primeira fase de trabalho ou onde, pessoalmente, não estão estabelecidos familiar e pessoalmente, vivem de aluguel. Mas depois, se tiveram sorte e as coisas têm corrido bem, entre os 40-50 anos, comprar imóvel, quase sem financiamento. Alguns o fazem com mais idade ou diretamente esperam se aposentar para comprar o típico apartamento da costa, em Portugal ou nas ilhas Baleares.

Mas vamos ao caso português. Imagine então que você tem um salário de€ 2.000 (também poderia ser algo mais adicionando seu salário e o do seu parceiro (a) e que você pode alugar a casa que você gosta por 700€ ou você pode comprá-lo por 225.000€ porque você tem guardado 67.500€ (20% mais despesas).

Para não liarlo-se muito com o juro variável e torná-lo comparável com o aluguel, vamos supor que para o financiamento escolhe uma hipoteca de taxa fixa ao 2,50% a 30 anos, das que se podem encontrar sem problema na atualidade.

Se você pegar qualquer simulador de hipotecas, você verá que a taxa que você sai é de 711,22€, sem risco de taxas de juro na revisão, pois é a taxa fixa.

O normal é que se você mora de aluguel, esses 700€ iniciais vão aumentando entre o IPC, que ultimamente é praticamente nulo. Mas não será sempre assim. Por isso, enquanto que a taxa de hipoteca não varia, o aluguel vai subir, mas também o farão ou não o devem fazer os salários.

Só que o IPC médio nos próximos 15 anos seja de 1,50%, passado esse tempo o seu aluguer será de 875€/mês 700€x(1,015^15)). Não obstante, entre o aluguel e comprar, há um problema que não tem o aluguel, que são as despesas de habitação. IBI, desperdícios, custos de comunidade, derramas, etc., Algo que cai por conta do locatário no caso do aluguel e por sua conta quando você é proprietário.

De modo que entre umas coisas e outras, aluguel e compra se igualam em termos de esforço financeiro. Então, desde esse ponto de vista, ficamos igual entre compra ou aluguer.

Mas vamos combater essa mentalidade de que os pais da geração de jovens que esta, hoje em dia, na disposição de comprar sua primeira casa. Aqueles que compraram entre os anos 70 e 80. E que viram como é revalorizaron suas casas de forma meteórica na época em que se dizia que o preço dos apartamentos nunca diminuía. Pessoas que pensam que viver de aluguel é jogar dinheiro e se você não se compra um apartamento não tem nada.

No exemplo que te dizia, referia que estavas a mesma disposição de comprar do que alugar. De modo que tinha esses 67.500€ poupados também. Se você não os utiliza para comprar casa, como fazem os alemães, mas os investidos a longo prazo na bolsa de valores e a sua rentabilidade média sem ser muito ambiciosos é de 7,25% ao ano, ao cabo de 30 anos teria 551.000€. Uma boa reforma ou um bom dinheiro com o que comprar algo na praia.

E isso sem contar que o que estás a poupar, menos sistematicamente todos os anos. Também pode poupar no caso de comprar o apartamento.

Se compararmos financeiramente o resultado entre alugar ou comprar, o valor da casa, ao cabo de 30 anos, tendo em conta uma valorização média anual de 3%, teríamos um valor do piso de 546.000€ ao capitalizar o preço de compra. Praticamente o mesmo, que tendo vivido de aluguer.

A chave para tudo isso, é o momento do investimento e, se os preços do investimento em bolsa ou a compra do apartamento, se fazem em termos relacionados a preços de euforia ou pânico. Já que é o único que pode alterar o resultado final. A dia de hoje temos bons preços, tanto no ativo como no outro, o que, para resolver o dilema entre comprar ou alugar, para decidir, haverá que recorrer a motivos pessoais, de liberdade de mobilidade, estabilidade no trabalho, estilo de vida e economia.

Deixe um comentário