Como pagar os empréstimos pessoais solicitados antes que o tempo

Às vezes pode ocorrer que pedir empréstimos pessoais e que, por qualquer razão, já não precisamos e queremos reembolsarlos antes do prazo que estabelecemos no contrato. Se nós temos o capital suficiente para devolver o empréstimo, poderemos fazê-lo sem qualquer problema através da amortização antecipada, que poderá ser total ou parcial, quando apenas reembolsamos uma parte da dívida vigente. Esta opção costuma ser comum quando contamos com extras, como o pagamento de verão ou de Natal e nos permitirá economizar no custo total do crédito.
Como funciona a amortização antecipada dos créditos
Quer se trate de uma amortização parcial ou total, será possível realizá-la em qualquer momento da vida dos empréstimos pessoais. Nós simplesmente reembolsar a entidade o capital de mais do que queremos retornar antecipadamente. Este serviço, de acordo com a entidade, poderá ter um custo, mesmo que esta comissão está regulada no artigo 30 da Lei 16/2011 de contratos de crédito ao consumo e limitado a um máximo de 1% do montante que reembolsemos se o prazo até o fim do contrato é superior a um ano, ou 0,5% se o prazo é menor. Da mesma forma, se cremos que contaremos com um dinheiro extra que nos permitirá reembolsar nossos empréstimos pessoais, o melhor é procurar um financiamento que não nos cobre esta comissão. Assim conservaremos por ambos os lados.
Credor Quantidade Custo Características Me interessa

Crédito Projeto de Cofidis 15.000 € a Partir de 4,95 % TIN (5,06 % TAE)

Sem comissões
Sem produtos relacionados
Entrada 24 horas, uma vez aprovado

Solicitar

Empréstimo pessoal Cetelem 50.000 € a Partir de 6,95 % TIN (7,18 % TAE)

Não tem comissões
Sem vinculações
Dinheiro na conta em 48 horas

Solicitar

Empréstimo Laranja ING 60.000 € 5,96 % TIN (6,11 % TAE)

Sem taxas de qualquer tipo
Não tem vinculações
Preaprobación no momento

Solicitar
Ao realizar uma amortização parcial da entidade nos permitirá escolher entre duas opções. Por um lado, podemos ficar com a mesma quota mensal e encurtar o prazo, poupando interesses. Por outro lado, poderemos manter o prazo de devolução original e assim pagar uma mensalidade mais baixa, o que faria com que tenhamos que fazer um esforço econômico menor, mas faria com que pagásemos mais interesses que se mantuviésemos da taxa de matrícula. Por esta razão, ao amortizar sempre é recomendável calcular ambas as opções para saber qual das duas nos convém mais.
E se eu pedir um empréstimo pessoal e depois me arrependo?
No caso de que tenhamos contratado um empréstimo pessoal, mas no final não queremos tê-lo também é possível desistir do contrato. De acordo com a Lei 16/2911, de 24 de junho, de contrato de crédito ao consumo, todos os usuários tem o direito de livre resolução de contrato de empréstimos pessoais. Desta maneira poderemos cancelar o contrato já assinado, sem ter que pagar nenhuma multa. O prazo para isso é de catorze dias de calendário, desde que assinamos o contrato, e vamos fazer a notificação através de um documento que assinar na entidade para dar fé. Após esta notificação contaremos com 30 dias adicionais para reembolsar o empréstimo e, mesmo que não tenhamos que pagar nenhuma multa, sim, que teremos que pagar os juros correspondentes aos dias que possa nos levar vários em fazer dinheiro o reembolso após o cancelamento.

Deixe um comentário