Como decidir onde investir o meu dinheiro

Maior drama é não ter dinheiro para tê-lo. Mas nem isso conforta os muitos poupadores, que na encruzilhada que lhes coloca as baixas taxas de juro, não sabem onde investir o dinheiro para cumprir as suas expectativas.

Há quem investiu nos últimos anos em fundos de investimento aconselhado pelo seu operador de referência na instituição financeira de sempre, mas vê como esses riscos que assumiu em seu momento, ultrapassam agora a sua capacidade de resistência.

E é que uma coisa é ter capacidade financeira para assumir riscos e outra bem diferente ter capacidade psicológica para suportá-los. Mal aconselhado ou não, o caso é que, se você se encontra em uma situação semelhante, eu acho que você não quer perder dinheiro com seus fundos de investimento.

Então as questões são o que faço com os meus fundos de investimento? Onde investir meu dinheiro? Onde coloco minhas economias para rentabilizarlos de forma segura? A esta e outras questões, te respondo em seguida.

Quero deixar claro um fato e é que, se você não tem a serenidade suficiente para sobreponerte os altos e baixos do mercado quando as coisas ficam feias, pode ser que isso não seja para ti. Mesmo assim, o que é certo é que saliéndote nos momentos de maior pânico, não só você vai perder dinheiro ao certo, mas todas as possibilidades de recuperar e ganhar dinheiro.

Sim, você pode durma mais tranquilo, mas é um sonho caro depois de tudo. Se você tiver uma certa idade, a deste ano, não terá sido a primeira crise econômica que vive. Deve ter passado muitas outras. E, no final, o que deveria ter aprendido do passado, é que de todas se sai. Mais tarde ou mais cedo, mas se sai.

Como poderia decidir onde investir o meu dinheiro, se primeiro não sou capaz de dominarme a mim mesmo e ser responsável com as minhas escolhas?

Às vezes você tem que ser honesto com você mesmo e atacar onde dói. Se vê que tu não podes e que a situação se ultrapassa, recorre a um profissional. Mesmo quando doente e vai ao médico Por que não pedir ajuda a um especialista quando as coisas vão mal com o seu dinheiro?

Isso sim, sabe de sobra que, embora você possa encontrar bons profissionais em bancos e instituições financeiras, não são independentes. Têm interesses e sua opinião é parcial. Ou melhor, têm conflito de interesses. Porque devem decidir entre o que mais convém à instituição que lhes paga o salário no final do mês e o cliente do que vive de seu negócio. Você por quem você acha que deve garantir mais?

Mesmo se você não quiser aceitá-la, deixar aconselhar por bancos sai caro. E olhe que tem má imprensa da banca, com a quantidade de escândalos e más práticas que são um pouco ao setor nos últimos anos, mas nem com essas. Ainda preferindo o aconselhamento financeiro gratuito de sua entidade de sempre e se autoconvences de que essa pessoa de confiança que você tem em algum banco não se deixe enganar.

Deixa de ser tu quem se autoengañe, busca outras alternativas para perto de onde investir o dinheiro e descobre novas maneiras de investir as suas poupanças. Há que ser humilde e reconhecer que não se pode saber de tudo. Mesmo que soubesses muito sobre finanças, se você não tiver tempo, vale a pena delegar. Às vezes um está tão centrado em suas coisas, que é incapaz de analisar as situações com perspectiva.

Por que não pedir uma segunda opinião? Você sabe que há consultores independentes dos bancos que você pode pedir uma avaliação gratuita de seus investimentos e sem custo? O que perde por fazê-lo?

Ouve o que não acontece nada. Acontece com muita gente. Às vezes não só é não saber onde investir meu dinheiro, é que eu não sei nem como nem onde eu tenho, porque tenho ido com os anos a tomar decisões a curto prazo, de acordo com ia tendo dinheiro e no final eu fiz com um emaranhado de produtos. Onde eu não sei exatamente como vão, nem especificamente que eu quero fazer com o dinheiro que eu tenho guardado no futuro. Nem que eu poderia ter feito para pagar menos impostos.

Pois os consultores estão para isso. Para colocar um pouco de ordem e direção a algo como o dinheiro. Que não é mais do que uma ferramenta para ajudá-lo a conseguir alguns objetivos. Que não são apenas materiais. Às vezes é segurança financeira, liberdade, ou simplesmente tranquilidade para você e sua família.

Alguém que te oriente e te diga que é o que mais te convém. Mas para isso você tem que falar com alguém que saiba e que te escute. E não só para que lhe diga onde investir o seu dinheiro em um momento específico, se não que, com uma visão global do seu património, que te apoie em grandes objetivoss financeiros da vida.

E mesmo que no final você acabe contratando com o seu banco de sempre, se a opção de vir com a prescrição de alguém de fora, que tenha os interesses alinhados com os seus. Ou começa a trabalhar com entidades que lhe ofereçam um sistema de arquitetura aberta a medida. Algo que não existe apenas nos bancos privados, mas EAFIs ou sociedades de consultoria patrimonial, que estão abertos a todos os públicos.

Eu há muito tempo eu aprendi, que além de saber onde investir meu dinheiro melhor, vale mais a pena como não cometer erros que me representem um passo-a-depois de importante em minhas economias. Você decide o que quer e como o quer fazer. Os adivinhos não há e fórmulas mágicas também. Mas se você está procurando ajuda, há.

Deixe um comentário