Como conseguir um aval bancário para alugar?

É possível, de fato, muito provavelmente, se você está à procura de um apartamento alugado, o inquilino lhe for pedido que entregar-lhe um aval.
A ideia deste post é que você saiba exatamente em que consiste a garantia, as despesas que tem e também os riscos.
O aval é uma forma de proteção para o proprietário. É um papel que assinaturas em um banco, por um determinado valor, e se dá ao proprietário. Isso permite que o locatário cobrar esses montantes se incumples os compromissos alcançados no contrato.
Depois que o banco poderia ir contra ti para recuperar esses montantes, mas esta perseguição aos bancos não gostam, por isso, asseguram-se muito de que não vai dar problemas antes de dar-te um aval (de fato, é muito comum que lhe peçam que metas a mesma quantidade no mesmo banco antes de dártelo).
Para que se concedam o aval deve cumprir alguns requisitos, tais como não ter dívidas pendentes, não aparecer em cadastros de inadimplentes, e, claro, tem um custo (os bancos são, assim, capazes de tirar dinheiro por quase qualquer coisa)
Você terá que pagar as despesas de:
formalizar o aval,
comissões de gestão
despesas de cartório
percentagem sobre o montante do aval durante toda a vida útil do mesmo.
Para vos dar uma ideia, para um aval de 6.000 reaisos montantes a pagar podem ir desde os 200 aos 600 reais, o que é muito importante dar uma olhada com diversas entidades.
“Depositar o mesmo valor que você está pedindo que se aprovem é a famosa penhor de que certeza que você já ouviu falar, que não se trata mais do que de deixar alguma coisa em penhor para responder por algo”.
Nós, que aqui todo o mundo garante que você vai responder.
Você tem que levar em conta que a única (e é a única forma de cancelar um aval é entregar o documento original no banco, por isso não o perca de vista, porque não vai valer a pena, nem fotocópias ou nada. Você só pode usar o aval original.
“3065”]
E se você está avaliando a alguém…
Se, pelo contrário, o que você está fazendo é endossar a alguém como, por exemplo, para alguém da sua família que se quer comprar uma casa, ter acesso a um empréstimo, montar um negócio ou adquirir algum tipo de compromisso comercial, muito cuidado.
A partir do momento em que o fizer, você se torna responsável perante o banco, por que se o que for a tua família deixa de pagar, o banco vai ir direto para você, sem contemplações. E depois vai-te tu a encontrar a sua família a pedir-lhe contas.
E é que, além disso, na hora de reivindicar a sua família você terá que provar perante um tribunal que se deve esse dinheiro e você tem que demonstrar tu, para poder reclamar o seu dinheiro. Parece louco, mas é assim.
Por isso te digo: muito cuidado com quem avalas e no caso de que seja necessário fazê-lo assinatura sempre também, perante um notário, o que se conhece como uma Contragarantía (que no final não deixa de ser que o devedor reconhece que tem dívida com você e assim, pelo menos, é algo que já carrega adiantado frente ao tribunal).
Se sua família não tem problema para pedir-lhe que lhe garantias, não tem que ter problema para assinar isto, posto que em caso de incumprimento, se está dando facilitando a vida ao dar-lhe a prova de que existe essa dívida.
Em resumo
Se você tem que pedir um aval prepare-se frente à entidade bancária para provar que você tem capacidade suficiente para assumir essa carga (e a carteira também).
Se você tem que fundamentar a alguém: NÃO AVALES: já está. Este é o mais simples. E Se você não tem escolha, assina o contragarantía e pede-se a quem esteja avaliando a assinar também. Que não se de vergonha. Se alguém te fez esse pedido, e tem a confiança suficiente para fazê-lo, também tem firmarte este papel.
Se quiser mais informações sobre os riscos e o que se pode passar por endossar a alguém, eu recomendo que você leia o meu livro Não Seja Horizonte: Os 9 erros a evitar se o seu amigo é seu parceiro e se lhe tirar a vontade de fazê-lo, eu garanto.
Por isso mesmo é tão importante ter claro quanto dinheiro você pode direcionar a sua aluguer.
3 artigos recomendados:
Erros financeiros que deve evitar para os 20, 30, 50 e 60 anos

11 jogadas que o banco tenta mergulhar e que deveria conhecer.

5 dicas para viver em eternas férias

Deixe um comentário