Como combater a ansiedade em pouco tempo

Os transtornos de ansiedade, tornaram-se um dos principais motivos de consulta, contra os psiquiatras e psicólogos. Ou acaso não conhece pelo menos uma pessoa em seu ambiente que sofra deste mal? Ou talvez você esteja passando por este problema.
Seja qual for o caso, a ansiedade é realmente um problema grave e sério e, como tal, devemos atacá-lo. Às vezes, a ansiedade é confundida com hiperatividade ou simplesmente dizemos: “é uma pessoa que sempre precisa de estar fazendo algo para não se cansar”. A verdade é que essa doença, pois na verdade é uma doença, pode levar à morte. Assim é a morte.
Hoje veremos algumas dicas práticas que vão ajudá-lo muito neste doloroso caminho da ansiedade.
Dicas para combater a ansiedade
Como sempre insistimos que, os profissionais são aqueles que têm a primeira palavra. Nossas recomendações, você ajudá-lo e acompanhá-lo no processo de cura.
Reconhecer a doença e dar-lhe o espaço justo. Porque primeiro de tudo: a ansiedade é uma doença e, como tal, há que tratá-la. Isso significa que estejamos doentes por toda a vida ou que não tenha solução? Claro que não. Mas também não podemos subestimarla ou desmerecerla frente a outros males. Se nos dói a cabeça e depois de não encontrar solução para isso, certamente, vamos ao médico. Bem, o mesmo acontece com a ansiedade, quando sentimos que não temos controle sobre nossos atos ou pensamentos e, não podemos nos concentrar ou pensar com clareza, devemos recorrer por ajuda.
Identificar situações que nos geram ansiedade. Se bem que nem sempre costuma ser simples, temos que investir tempo e esforço para isso. Todos e cada um dos ansiosos, temos “fontes” que desbloqueiam a ansiedade. Às vezes podemos sentir-nos ansiosos e não sabemos porque, mas o certo é que sempre há situações ou contextos em que se movimentam e desencadeiam essa desagradável sensação. Um exemplo? Ir às compras. Há pessoas para ir às compras a um centro comercial, ele se transforma em um calvário. Ou estar tantas horas presas em sua casa. O importante e, uma vez que identificamos isso, é evitar a todo o custo, estas situações desencadeantes.

Praticar alguma atividade esportiva. Além de nos definirmos como mais ou menos atletas, a atividade física é, sem dúvida, um dos melhores remédios para diminuir a ansiedade. O esforço físico elimina substâncias que naturalmente nos faz sentir melhor e, por isso, sentimo-nos mais tranquilos e relaxados. Para conseguir bons resultados e sustentáveis no tempo, temos que ser firmes na prática da atividade que escolher.
Falar sobre o que nos acontece. Falar daquilo que nos afeta sempre nos faz sentir mais aliviados. Seja com um amigo, um terapeuta ou simplesmente escrever sobre um papel, expressar e exteriorizar o que sentimos é o primeiro passo para a recuperação.
Considerar tomar ansiolíticos. Tomar ansiolíticos e, sempre sob prescrição médica pode ser necessária. O citado em último lugar, porque a idéia é que ele seja o último recurso. Agora, interessa-nos esclarecer que tomar ansiolíticos não necessariamente é ruim. Muitas vezes quando precisamos atacar o problema, o médico poderá recomendar-lhes. Nesse caso, devemos seguir ao pé da letra, com suas instruções e nunca, absolutamente nunca, decidir por nós mesmos. Esses psicofármacos actuam a nível do sistema nervoso central e podem causar uma grande instabilidade, quando a sua concentração e frequência de consumo, não são as adequadas.
A ansiedade tem como causas uma série de variáveis e, como cada pessoa é única. O que funciona para um, não necessariamente tem que funcionar para outra. Não nos sintamos frustrados se ao princípio não notamos alterações. O importante é agir a tempo e colocar em prática várias opções. Mas lembre-se que você nunca está sozinho.
Por: Alexandre Jose Silva

Receba os Nossos artigos em sua caixa de correio electrónico. Junte-se a nossa comunidade, é grátis.

Nome

Endereço de email: