Carteira de valores para investir 2015-2016

Há poucos ativos que ofereçam maior atrativo e percurso que a renda variável no momento. Às vezes, quando as coisas não estão claras, não é ruim aspirar a obter rentabilidade zero preservando o capital e à espera de tempos melhores. Mas se você acha que você é capaz de assumir determinados níveis de risco, você ainda pode construir uma carteira de ações para investir de cara para 2015-2016, para recolher os retornos da recuperação económica e da ação do BCE nos mercados.

Tínhamos começado o ano muito forte nas praças europeias, antecipando os benefícios do programa de compra de ativos anunciado por Mario Draghi, no início do ano. Mas nada sobe para sempre e muito menos de tração e seguido.

Com semelhantes classificações e com alertas de viragem na tendência em muitos mercados, uma pergunta se existem valores para investir com o curso. Mas ainda há oco.

Para o caso da bolsa espanhola, pelo menos em frente a expectativas de lucros futuros das empresas do Ibex e com a informação que tem atualmente, fixaria seu nível correto em 13.250 pontos. O que eu sou incapaz de prever é em quanto tempo vai e com que contratempos pelo caminho.

Poderia ser este ano ou para meados de 2016. Eu não tenho nem a mais remota ideia. O que sim sabemos é que o excesso de liquidez, a ação firme do BCE, o barateamento do petróleo e a fraqueza do euro em relação a divisas de mercados que importam nossos produtos, nos ajuda um monte.

Veremos também algumas ameaças que teria que vigiar. Ao final, a seleção de ações para investir é uma decisão estratégica, fundamentada em dados, mas que pode ser alterada constantemente.

Vamos ver um pouco o contexto em que nos movemos, antes de formar uma carteira e, em seguida, já te disse qual é a minha carteira de ações recomendada 2015-2016.

Como te disse no início, nós tínhamos começado muito forte no início do ano, e mais tarde ou mais cedo, tinha que chegar um recorte por uma razão ou outra. De fato, ainda não sabemos se vai cair um pouco mais e até onde. Mas isso é uma boa notícia se você havia deixado de fora ou tinha vendido a sua posição colhendo benefícios. Agora você pode entrar mais barato em uma boa tendência que se mantém.

Há duas coisas certas na situação atual. Temos indícios de superaquecimento do mercado e nos movemos em ambientes que antecipam a chegada de um crash ou a próxima crise. Isso pode chegar dentro de 6 meses ou ao cabo de dois anos. Mas há algo no ambiente de ações, que alerta para o que chega, como quem cheira a terra molhada antes da tempestade.

As IPOS são um indicador contrariam muito curioso e de teto de mercado usado por alguns investidores. No ano passado, tivemos um bom número de lançamentos em parquet e este ano parece que vamos igualar o número máximo de saídas à bolsa que tivemos em 2010 e por volume antes do estouro da crise, em 2007. As empresas apuran a euforia na bolsa para colocar as ações de sua empresa o mais altas possíveis e captar o máximo de capital.

Também são pistas a ebulição processos de concentração de negócios através de OPAs e a forte atividade nos chamados chicharros.

Se isso fosse verdade, ainda não chegamos ao momento mais crítico, o que na minha opinião, ainda estas a tempo de fazer a sua carteira de ações.

Vamos a composição, Qual seria a carteira de ações recomendada 2015-2016?

Para a sua composição, vou ter de levar em conta as avaliações de ações ao preço de fechamento das cotações do 07/05/2015. E vou considerar que compro uma carteira modelo através de uma corretora com taxa plana a 8€ sem despesas de custódia. Administrando um orçamento de 30.000€ e supondo que compro 6 ações em partes iguais.

Vou utilizar a ferramenta de acompanhamento de carteiras de Impok, que por certo me parece excelente (não entendo por que não tem mais sucesso) e, assim, poder monitorar o erro ou o acerto da seleção de ações para investir.

Pode seguir aqui para ver a evolução da carteira. Já te antecipo que será composta por: a Repsol, a Logista, Mapfre, Liberbank, Corporación Financiera Alba e do BRASIL. Cujo punição, esta última me parece injustificado e que, acredito, irá recuperar o valor.

São empresas com receitas recorrentes sólidos, vinculados ao crescimento econômico doméstico e perfil exportador. Com um PER atraente e uma rentabilidade por dividendo razoável.

Tenho alguma empresa mais no radar. Como pode ser Indra, Ence, Arcelor Mittal, Banco Sabadell ou a recém-saída da bolsa Cellnex.

Mas eu acho que as ações que escolhi, são um bom conjunto para rentabilizar com risco razoável, o que pode vir ao longo dos próximos meses.

Sou consciente de que esta carteira de valores está ameaçada de extinção em curto prazo, com as conjunturas políticas que nos esperam com as eleições. Onde o maior risco é o de uma volta à recessão ou um pânico de mercado, motivado por um resultado muito fragmentado que exclua a formar Governo. Ou que o Governo que se forme, seja um governo extremidade esquerda.

Apesar de tudo, acredito que esta descontado pelo mercado dos possíveis resultados. E que vai pesar mais a ação do BCE e o fundo de mercado, que o ruído gerado por tensões políticas.

Também não é desprezível o risco existente do outro lado do atlântico, o que pode representar uma queda descontrolada das bolsas americanas diante da retirada de estímulos por parte do FED e um frescor de sua economia.
Apesar de todos estes riscos, são circunstâncias que podem gerar correções importantes em um momento pontual, a tendência de fundo continua a ser favorável para o mercado português. Portanto, entendo que esta carteira de investimento de veria suportá-lo.

O que te parece a minha carteira de ações recomendada para 2015-2016? Em quais ações invertirías você? O que expectativas tem para a bolsa espanhola?

Deixe um comentário