8 Práticas Financeiras de Como pode Ficar Livre de Dívidas

Na vida existem diferentes formas de iludir ou criar diferentes caminhos para o que muitos indicam ser “inevitável”, se você tem experiência e solidez, você não terá que lidar com a maioria dos problemas com os quais as pessoas, em grande parte sofre. Isto é aplicável também em sua vida financeira, claro está, e se você tiver cuidado e um pouco de bons hábitos, você pode evitar estar até o pescoço de dívidas.
As dívidas são, sem dúvida alguma, um dos problemas monetários com que a população acarreta, inclusive, pode afetar pessoas de qualquer classe econômica, baixa, média ou alta. Não há discriminação alguma.
Mas não se preocupe, certamente, como foi mencionado anteriormente, você pode ter uma outra mentalidade melhor preparada para evitá-los, e começar a infundir em ti, novos hábitos, aqui se te ensinarão 8 deles, assim que lê cuidadosamente.
Evite utilizar demasiadas vezes o seu cartão de crédito
É verdade que sempre pode existir a tentação de usar a “suculento” cartão de crédito, estar com a maior desenvoltura em suas despesas, se o banco lhe dará uma boa quantia de dinheiro, mas o Que há com os pagamentos posteriores, juros e taxas? Use uma boa estratégia para ter despesas com ela, comprando apenas o que você pode pagar sem falta para o próximo mês.
Compre com esta ferramenta monetária somente quando necessário, não realizar as chamadas “compras impulsivas”, uma vez que poderá gerar mais e mais dívidas com cada uma delas. Além disso, forçar-se a ser organizado em seus pagamentos, e na hora de ter essa compra que tanto necessita, não gaste mais do que você não possa pagar.
Compra com maior freqüência em locais onde você pode encontrar boas ofertas
Certamente, você já foi ao supermercado, restaurante, loja de eletrônicos ou qualquer uma das seqüências de franquias disponíveis em sua localidade, em busca de bons produtos, mas não reparaste em algo: o preço. Existe uma infinidade de ofertas ao virar da esquina, os mesmos produtos que possivelmente esteja comprando o dobro de seu preço real.
Neste sentido, o melhor que você pode fazer é procurar a oferta mais otimizada disponível, para economizar até 70% em despesas e, além disso, não cair em dívidas, nunca compre na primeira loja onde você vê o que você deseja. Não se deixe levar por belas embalagens ou apresentações, se você pode obter um produto com menor denominação monetária, não escatimes.

Além disso, você pode, na maioria dos casos, utilizar cupons de pagamento, é muito simples ficar com alguns, e alcançar assim sempre que possa gastá-los em vez de usar seu dinheiro.
Torne-se um dos hábitos mais cautelosas, como se fossem parte do seu dia-a-dia
Este ponto está muito estreitamente ligado ao descrito anteriormente, e trata-se de envolver todo o seu ser nas práticas ahorrativas. Se já se centrado nas ofertas, agora não deixe de sempre ter um par de notas em sua conta, mesmo quando sentir que “não tem mais despesas”, trata de estabelecer um mínimo de capital como base.
Isso é o que muitos chamam de “colchão monetário”, e implica ter um capital extra, para ver se surge alguma situação imprevista. Consegue fazer isso e não viverás com o estresse de dívidas, já que, logicamente, você estará um passo a frente delas.
Realiza uma avaliação do que realmente necessita
Não é a primeira vez que você deve ler esta recomendação para evitar dívidas, mas você realmente tiver aplicado? Se a sua situação econômica não é a melhor de todas, então, com maior ênfase deve aplicar uma evaluaciónreal e é enfatizado o “real”, para determinar quais são as suas necessidades.
Primeiro determina o seu capital, você uma estimativa anual, de ser possível, e inclui todas as suas despesas que tenha como “padrão”, posterior a isso, inicia-se com o processo de descarte, aqueles que realmente não sejam úteis para o seu dia-a-dia devem ser eliminados, sem hesitar.
O consumismo é muitas vezes uma arma de dois gumes, e se você não se controla, você pode comprar itens que ficarão em sua garagem, como pequenos ornamentos inúteis.
Caso você já tenha caído em dívidas córtalas de raiz
No caso de que você já até o pescoço de dívidas, elimina toda a causa externa ou interna delas. A principal destas é seguro o cartão de crédito, não esqueça, o que anteriormente foi indicado e aplicado este novo princípio: elimine todas as cartas que já se estão apresentando problemas financeiros.
Além disso, trata de pagar as dívidas, com o menor custo, estas são as que, primeiro, devem estar no seu itinerário de pagamentos, isso tem relação com o planejamento que já deve ter feito, anteriormente, através do descarte de despesas, pois é semelhante, e desta vez, primeiro descarta os montantes mais pequenos, já que são as “mais fáceis” de pagar.
É contra-indicativo, apontando as dívidas já no ponto onde deverá estar consciente de não cair nelas, mas, claramente, há sempre o risco.
Usado sozinho ou em maior proporção em dinheiro
Mas nestes tempos de soma tecnologia e o alcance do dinheiro-mail, nunca é de mais utilizar o papel-moeda como principal suporte a seus custos económicos.
É verdade que isso pode ter algo de incômodo ao sair para a rua e levar uma grande quantidade de dinheiro nos bolsos, mas lembre-se que assim se entregar de tarifas que estão lá, latentes consumiéndote pouco a pouco, entre elas, os interesses, IVA, cobranças por remoção, e as comissões.
Certamente parece idiota, mas as tarifas que a maioria dos serviços de pagamentos eletrônicos pode remover até 15% de seu capital, sem sequer ter se dado conta. Portanto, no momento em que realmente precisar pagar, poderia levar a uma má experiência.
Outras vantagens do uso de dinheiro em dinheiro, é o poder de controlar de melhor forma as acima mencionadas compras compulsivas. Isso porque o limite definidos para suas despesas sempre estará na frente de você, pelo que será muito mais prático o gerenciamento de orçamentos.
Algumas lojas também oferecem uma grande variedade de descontos se efectuar o seu pagamento em dinheiro, esta fortaleza está vinculada com o ponto onde se fez menção de compras com ofertas. Não deixe de ter dinheiro em seus bolsos!
Não gaste mais do que ganha
Esta prática é essencial, e não merece muitos cálculos financeiros, é simples, se o seu salário não supera em 50% o crédito ou o valor de um produto que esteja recém obtendo-se, através de cotas, não o compre.
Certamente o mês seguinte, você estará sofrendo a duras penas para poder pagar a quota que corresponder e, além disso, as taxas de juros irão fazendo pouco a pouco o seu efeito negativo em seu bolso.
Realiza um orçamento baseado no que realmente pode gastar, e se em seus objetivos a longo ou a curto prazo contêm despesas maiores do que você pode reunir de forma mensal, não te precipites, economizar. Poupando pouco a pouco, você pode obter esse “precioso” produto ou serviço que, por enquanto, está fora de suas mãos
Faça planos futuros de seu orçamento
Ao construir um orçamento para o futuro, fixa e manter um equilíbrio harmônico em sua vida financeira. O mais aconselhável é que organizar muito bem os seus custos, para isso, avance e avalia o seu capital disponível, para obter lucros futuros que possam manter o fluxo de entrada e saída de dinheiro financeiro. Além disso, procura-se a causa pela qual o seu orçamento se desequilibrar, fazendo cair nas dívidas.
Uma vez aqui e identifique o problema, aplica os 8 hábitos já anteriormente mencionados, você vai notar a diferença, quando, de vez em quando puder premiar-lhe e fazer a viagem de seus sonhos, ir comer onde quiser, ou comprar aquele produto que tanto desejou.

Receba os Nossos artigos em sua caixa de correio electrónico. Junte-se a nossa comunidade, é grátis.

Nome

Endereço de email: