5 formas de minorar o ganho patrimonial pela venda de um imóvel de uma pessoa maior de 65 anos

Parece que se começa a movimentar o mercado imobiliário. Muitas pessoas decidem investir no tijolo, diante da falta de alternativas para a economia. Mas, logicamente, do outro lado, há também muitas pessoas que vendem. Não só são apartamentos de bancos que vendem.

Além daqueles que compram casa, como uma necessidade para moradia habitual, daqueles que compram apartamentos para investir costumam ser pessoas mais velhas. Que, por sua vez, também desmancham patrimônio porque precisam de liquidez.

Às vezes porque passaram parte de sua vida de trabalho em uma cidade e voltam às suas origens. Outras porque têm recebido uma herança e que repartir o dinheiro entre os herdeiros. Também por problemas de saúde e porque cada vez vivemos mais e há necessidade de muito dinheiro para pagar um lar de idosos ou alguém que se encarregue dos cuidados.

O caso é que há muitas razões por que uma pessoa com mais de 65 anos, pode obter um ganho patrimonial pela venda de um imóvel. O que costuma representar uma carga fiscal importante na declaração do imposto de renda. E o que vou contar são 5 formas de minorar o ganho patrimonial pela venda de um imóvel. Canela fina, como se costuma dizer. Por isso, preste atenção, porque você pode economizar muito dinheiro.

A partir do ano de 2015, entrou em vigor uma reforma fiscal que afeta de maneira importante para a tributação da venda de uma habitação. E é que se dirigiram para as vendas que sejam cumpridos a partir de 1 de janeiro de 2015, os valores de coeficientes de atualização, que permitiam reduzir o ganho patrimonial declarada ao levar em conta a atualização do preço de compra pelo efeito da inflação.

Por outro lado, também eliminaram-se os coeficientes de abatimento, que permitiam reduzir o ganho patrimonial na venda de imóveis comprados antes de 1994.

De modo que um apartamento adquirido em 1990 por 60.000€ e vendeu hoje por 200.000€ obrigaria a ser tributados em IRS, por um ganho patrimonial de 140.000€, a uma taxa de IRS entre 19% e 23%. O que corresponderia a uma taxa a pagar no IRS de 31.080€.

Não obstante, mantém-se um regime transitório, onde se podem aplicar coeficientes de abatimento para a transmissão de ativos adquiridos antes do 31-12-1994, com o limite global de vendas a partir de janeiro de 2015, de 400.000€. Por que a cota resultante com a redução seria de 17.258,54€. Em qualquer caso, vale a pena um consultor fiscal analisar a sua situação com o detalhe, já que estamos a falar de muito dinheiro.

De entrada sempre poderá reduzir o ganho patrimonial somando-se ao preço de compra de todas as despesas (impostos, cartório, registro, prestador de serviços administrativos…), somando os investimentos e melhorias no imóvel e subtraindo ao valor de transmissão minorado por despesas de alienação (Certificado de eficiência energética, mais-valia municipal). O que faz com que a diferença entre preço de venda e compra seja menor.

Supondo sempre que haja ganhos patrimoniais na venda do imóvel, estas ficariam isentas por Lei, apenas se trata da venda de uma casa considerada como moradia habitual dos vendedores e estes são maiores de 65 anos.

No caso de não ser assim, o ganho patrimonial da venda do imóvel pode ficar isenta total ou parcialmente, se é reinvestido em uma renda vitalícia dentro dos seis meses seguintes à venda. Com limite, isso sim, de 240.000€.

De modo que, seguindo o caso anterior, se o valor total obtido da transmissão é reinvirtiese em uma renda vitalícia, se economize os 17.258,54€, que lhe seria para pagar a declaração do imposto de renda. Ou um montante proporcional ao percentual de reinvestimento. Vale a pena estudá-lo. A economia de impostos é importante.

Outra coisa que se pode fazer para pagar menos pelo ganho patrimonial da venda de um imóvel por pessoas com mais de 65 anos, é compensar perdas patrimoniais de outros ativos.

Imagine que você tem esse fundo que vai tão mal, e com o que se perde 10.000€. Embora tenha ideia de mantê-lo, você poderia reembolsarlo antes do final do exercício fiscal. Para assim materializar a perdida e depois compensar com o ganho do imóvel. Mesmo depois de voltar a subscrever o fundo e tudo continuaria como estava. Mas, desse modo, pode poupar entre o 19-23% da perda declarada que estão latentes em seus investimentos.

Outra possibilidade para pagar menos impostos pela venda de uma casa feita por uma pessoa maior de 65 anos, é contribuir para planos de pensões. Embora essas pessoas que o normal é que sejam reformadas por ter mais de 65 anos, podem reinvestir uma pequena parte do dinheiro obtido na venda, para contribuir com limite máximo de 8.000€ para um plano de pensões. Embora esteja aposentado, poderá fazê-lo.

Beneficiam-Se na vida da redução do imposto da base tributável. Se for o caso, esse dinheiro você poderia cobrar, se necessário por invalidez ou dependência, e simplesmente pelo mero transcurso de 10 anos de tempo de contribuição. E no pior dos casos, o dinheiro dos planos de pensões ficaria isento de imposto de sucessões. E, além disso, permite designar um beneficiário expresso.

Como você vê, você pode chegar a pagar muito dinheiro pela venda de um imóvel, com as condições fiscais atuais. Mas você pode ahorrártelo destas cinco formas. O ganho patrimonial pode ficar isenta por ser a venda de moradia habitual de um maior de 65 anos. Você pode minorar a compra e o valor obtido da venda, incluindo até o último centavo dos gastos em cada caso, além das melhorias realizadas no imóvel pelo seu custo. Você pode reinvestir em uma renda vitalícia com limite de 240.000€. Você pode compensar com outras perdas patrimoniais e pode contribuir para planos de pensões, uma vez aposentado. O que quer que seja com o fim de pagar menos a Fazenda. O que você acha? Eu vi essas opções?

Deixe um comentário